Família

divertida-mente-2

O amor, o afeto e a paz eram 3 irmãs
Que viviam felizes e em sintonia harmoniosa
Com uma ligação tão forte quando um imã
E reinavam de uma forma gostosa

O afeto era o mais comunicativo
Solto, se apegava mais as pessoas
Era muito extrovertido e ativo
Além de simpático, tinha ideias boas

A paz era a mais reservada, rígida e centrada
Evitava qualquer desavença, às vezes até concordava
Com algo que não gostava, para já ter uma resposta dada
Sem criar uma discussão, onde a felicidade reinava

O amor era o mais cuidadoso, um típico sincero
Vivia pelos outros, era liberal e um verdadeiro lutador
Dizia: “Um dia eu conquisto todos do mundo, assim espero”
E às vezes, por ser ele mesmo, não deixava ser tomado pela dor

E o mundo em que viviam existia outros parentes
Dos primos Ódio e Raiva até os tios Calma e Ansiedade
Sem falar de outros inúmeros que se alternam entre os entes
Era uma grande família, uma fraternidade.

Plantando Ideias

ideiasBom dia Brasil, país do meu mundo
O que não está no top, tá no fundo
Cheio de orgulho, luxúria e repúdio
Vindo de outras épocas, tipo dilúvio

Venho registrando várias palavras
Sentimentos, ações e escolhas
Indo ao destino da cidade de lavras
Peixe fora d’agua solta muitas bolhas

Penso positivo quando estou feliz
vacilou playboy, toma soco no nariz
Achou que era pouco e se tornou infeliz
Tudo que sobe desce, igual um chafariz

E o que será de nós
ienas velhas de trenós?
Matando a ansiedade com Altrox
ou um esquilo viciado em noz?

Achei que era tarde, mas me enganei
A terra está sobre mim, mas levantarei
Porque sou forte, soberano, Sou Rei.
E ainda nesta terra, eu reinarei.

Marquem as palavras de um simples camponês.
Tudo que se faz na vida, se paga de uma vez
Sendo bom ou ruim, a colheita é em três:
Planta, cultiva e colhe. Aí chega sua vez!

 

Dom Quixote

dom

Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos, mas sempre no horário
Peixe fora d’água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
Na ponta dos cascos e fora do páreo
Puro sangue, puxando carroça

Um prazer cada vez mais raro
Aerodinâmica num tanque de guerra
Vaidades que a terra um dia há de comer
Ás de Espadas fora do baralho
Grandes negócios, pequeno empresário
Muito prazer, me chamam de otário

Por amor às causas perdidas
Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Tudo bem, seja o que for
Seja por amor às causas perdidas

Por amor às causas perdidas
Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Muito prazer, ao seu dispor
Se for por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas

Osho

osho.jpg

Sempre que houver alternativas, tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências.

 

texto 6Tava em um local lotado de gente conhecida, muita gente que não via há tempos. Achei que era uma festa massa, mas pessoal tava diferente, melancólicos, alguns felizes, outros bem tristes. E aí que percebi uma coisa, era o meu funeral.

 

O ceifador de Perdedores

texto5.jpgHá algum tempo fui contratado para um trabalho distinto. No começo achei meio diferente, mas nada que com um tempo não se acostume. Horários incertos, tempo cronometrado algumas vezes, e um bom pagamento. Era tudo de se esperar. Porém existe uma cláusula que não se podia quebrar, eu não poderia dizer as palavras “obrigado”  e “me desculpe”. Isso era inaceitável no Trabalho, repercutiria em toda a minha vida. Contrato meio puxado, as vezes exaustivo, mas as pessoas acabam de acostumando com ele.
O trabalho era muito simples, tratava de destratar as pessoas. Com piadas medíocres ou ofensivas, de preferência as que feririam o ego delas. No começo você acha que é exagero, depois você se torna aquilo, acha normal faltar com respeito, se torna brincadeira. Se torna comum.

E então o dia a dia se torna isso, um lugar onde posso depravar piadas e ofensas que o resto do mundo acha engraçado. É uma cutucada dali, outra daqui, contanto que um ou dois riem, é inteiramente normal. Se a pessoa se ofende com a suposta “brincadeira”, ela não tem argumento para se sustentar, ela se torna a errada.

E o mundo está assim hoje em dia, tratar o outro com ofensa é normal, fazer piada imoral é engraçado, cultivar o humor negro virou algo necessário. Algumas pessoas se afastam da gente, mas tanto faz. O mundo continua girando. No fim da vida vou estar sozinho, com meu humor negro, minha falta de caráter e um belo casarão solitário.

Mas se arrepender jamais, afinal nasci pra ser otário.

(Depoimento de um babaca qualquer)

 

Lá na pqp.

texto4No vilarejo de Cacatua existia 3 clãs que disputavam o poder, Lanoicutit, ovitar e lanep.

3 impérios se colidem, pelo apogeu do vilarejo. Só assim eles podem futuramente lutar e tentar ocupar a província de Otieri’D. Uma região devastada pelo caos, rapinagem e destruição. E no meio dessa guerra pela conquista, existe um indivíduo, que vigia tudo e todos e espera o momento certo para atacar. Esse é o ACI TsuJ.

E a história continua.