“A Grande Sabotagem Reptiliana”

ee.jpg

Ao contrário do que nos explica o autor inglês David Icke no trecho abaixo, Vitzo, de Urano, nos informa e afirma que os Anunnakis não eram reptilianos.Ao contrário, eles se esconderam até que os gigantes tivessem ido embora. Veja, antes, este trecho do livro de Icke, “O Maior Segredo: 


“Eu não penso que os Anunnaki dos Tabletes Sumérios e os Marcianos brancos propostos no cenário de Brian Desborough são os mesmos povos, apesar de poder existir uma conexão genética entre eles. Juntando a massa de evidências, visões, pesquisa e opiniões, que eu tenho lido ou escutado quase todos os dias nesses últimos anos, eu sinto que os Anunnaki são uma raça de uma espécie genética reptiliana. Na pesquisa ufológica eles tornaram-se conhecidos como reptilianos. Nem eu estou sozinho com esta visão. Pessoalmente eu tenho estado espantado por quantas pessoas hoje estão abertas a essas possibilidades e, certamente, estão chegando às mesmas conclusões através de suas próprias pesquisas. Entre esses incluem-se muitos que iriam gargalhar dessa idéia há pouco tempo atrás. O Dr. Arthur David Horn, um ex-professor de antropologia biológica da Universidade Estadual do Colorado em Fort Collins, inicialmente acreditava enfaticamente na versão Darwinista da evolução humana, o desenvolvimento lento da espécie humana via princípio da sobrevivência do mais adaptado. Puramente sob o peso de evidência e de sua própria experiência, ele está agora convencido que a humanidade foi semeada por extraterrestres e que uma raça reptiliana controlou o planeta por milhares de anos e continua a fazer isso hoje em dia.” 
 
O parecer de Vitzo em ” 
A Grande Sabotagem Reptiliana“, nos leva mais em contato com as pesquisas de Zecharia Sitchin, falecido recentemente. Ele acreditava que os  Anunnaki criaram o homo sapiens, cruzando seus genes com os do Homo erectus, para usá-lo como escravo para a extração de matérias-primas,como o ouro, que eram necessárias para proteger a atmosfera de seu próprio planeta Nibiru.Sitchin_olmecsGiantHead

Leia agora este pequeno trecho de “A Grande Sabotagem Reptiliana”

“Os seres chamados de Anunnakis por vocês não são bem o que se considera como reptilianos. Os Anunakis são seres da mesma galáxia que vocês habitam. Eles trouxeram outros conhecimentos para os humanos que aqui habitavam. Eram deuses, mas não reptilianos. Os reptilianos estavam aqui muito antes deles chegarem, mas ocultaram seu conhecimento até que a grande leva de deuses fosse embora novamente. Os Anunnakis são os responsáveis pela raça que originou o poderio egípcio naquela região. Foram eles que implantaram os costumes entre homens e deuses em uma região onde a carne não era valorizada e sim o espírito, a alma que transcendia os tempos e por isso, os humanos embalsamavam seus mentores sacerdotais para que nunca morressem na Terra e nos céus. Os Anunnakis eram gigantes de 30 a 40 metros de altura e o povo réptil “esqueceu-se convenientemente” de juntar-se para ofuscar a presença alienígena que trouxera progresso para toda aquela região. Eles esperaram que fossem embora para depois iniciar sua busca pelo ouro descoberto. O ouro do conhecimento que tornou a civilização egípcia tão poderosa em tão pouco tempo. A civilização egípcia foi atacada posteriormente pelo estado reptiliano, quando se envolveram sutilmente em suas tropas e entre seus faraós. O mal novamente foi contagiando as estruturas egípcias, traduzindo o que de pior eles conheciam para atrasar novamente a evolução humana. Fogo, morte e destruição estagnaram e destruíram a civilização que durante mais de mil anos reinou sobre a Terra reptiliana. O que podemos dizer depois disso, é que eles, os reptilianos, cresceram novamente, porque seus sistemas de destruição expandiam-se rapidamente por todo Oriente e África, sem que fossem notados pelos mais desatentos. Outros impérios viriam depois dali, mas eles já sabiam como lidar e corromper a raça humana.” 

Cientistas da IBM criam neurônios artificiais que ‘pensam’ sozinhos

neuroniso

Em um estudo publicado nesta semana, pesquisadores da IBM revelaram a criação de um conjunto de mais de 500 neurônios artificiais, capazes de interpretar informações e aprender sozinhos. A descoberta deixa a empresa cada vez mais próxima de desenvolver um sistema computacional capaz de se comportar como o cérebro humano.

Os neurônios artificiais da IBM foram criados a partir de chamados materiais de mudança de fase – isto é, substâncias que podem existir em dois estados diferentes (gasoso e líquido, por exemplo) e trocar de um para o outro com facilidade. A combinação usada pelos cientistas é composta por germânio, antimônio e telúrio.

A material, denominado GST, pode alterar sua composição entre os estados cristalino e amorfo – isto é, sólido, mas sem forma definida. Na primeira fase, o GST (usado na membrana do neurônio artificial) funciona como um isolador de energia elétrica. Já na fase amorfa, o material consegue atuar como um condutor de eletricidade.

Desse modo, com uma membrana capaz de conduzir ou isolar eletricidade, o neurônio artificial pode realizar sinapses a base de impulsos de energia – assim como os neurônios no cérebro humano. Outra semelhança é que os neurônios criados pela IBM não trocam dados digitais, como arquivos de computador, mas apenas informações analógicas, como temperatura e movimento, e são tão pequenos quanto neruônios “de verdade”.

Aplicando-se uma fonte de calor a essa população de neurônios, as sinapses acontecem quase que naturalmente. É importante destacar, contudo, que a informação trocada entre elas é puramente aleatória, assim como no cérebro humano. Isso acontece devido ao ciclo de transformações do GST, que altera seu estado entre cristalino e amorfo sempre com alguma diferença. Os cientistas nunca sabem quando uma sinapse será realizada ou entre quais neurônios.

O que torna a descoberta ainda mais impactante é sua eficiência: os materiais usados na criação dos neurônios são facilmente encontrados na natureza ou na indústria; cada célula exige muito pouca energia para operar; a quantidade de informação processada é muito grande, enquanto o processamento é rápido; e tudo isso funciona num espaço físico bem reduzido, em vez de ocupar enormes edifícios repletos de servidores, como os data centers modernos.

Embora esses neurônios ainda não estejam prontos para serem usados em robôs como os de filmes de ficção científica, possíveis aplicações já estão sendo estudadas. O “mini cérebro artificial” da IBM poderia, por exemplo, ajudar na detecção de fenômenos naturais, como terremotos e tsunamis, ou até em sistemas de previsão do tempo mais precisos.

Em teoria, nada impede que esses neurônios sejam usados na fabricação de processadores de computador que tornem PCs, aplicativos ou qualquer dispositivo eletrônico bem mais inteligente, nos aproximando da mítica singularidade. O desafio, porém, ainda é desenvolver o código de software capaz de interpretar as informações analógicas de um “cérebro” como esse.

Via Ars Technica

Compreender Kant

IMG_78945647.JPGA filosofia de Kant destaca-se de todas as outras pela obrigação que instituiu para todo pensamento ulterior de examinar seus próprios princípios.Como pensar a origem dos conhecimentos humanos sem se interrogar sobre os limites, nos termos insubstituíveis da Crítica da razão pura? Como pensar ou contestar a consciência moral sem se referir à presença, em nós, da lei, que Kant considera um fato da razão? Como explicar o belo, os fins da humanidade ou os do indivíduo sem lançar mão dessa faculdade de julgar cuja especial sutileza Kant soube exprimir? Este livro de síntese e de reflexão tem o mérito de fornecer as chaves para a compreensão de um pensamento indubitavelmente complexo, de destacar campo por campo sua importância histórica precisa, de extrair tudo o que ele conserva de vivo e até mesmo inexplorado para o filósofo contemporâneo

Este site quer comprar aquele celular que você não usa mais

cele

São Paulo – Um novo serviço online promete dar destino àquele smartphone velho que você tem guardado em casa. Batizado de Redial, o site já comprou cerca de 500 gadgets usados desde seu lançamento em setembro.

O serviço funciona de maneira simples. Ao acessar o site, o internauta deve informar o modelo do smartphone que quer vender e se o gadget tem algum problema – como tela quebrada ou algo do tipo. Com base nisso, o serviço informa o preço a ser pago pelo aparelho.

Caso o dono concorde com o valor, o Redial faz o cadastro dos dados do internauta, verifica se o smartphone não é roubado e pede ao dono do celular que envie o gadget por correio.

Após uma última análise, o serviço paga até 1.600 reais pelo smartphone usado – de acordo com o modelo e o estado de conservação.

Refone

O francês Amaury Bertaud é o diretor da Recomércio, startup que está por trás do Redial. Além desse site, a empresa tem uma loja online chamada Refone – voltada para a venda de smartphones usados.

“O preço de smartphones novos no Brasil é muito alto”, afirmou Bertaud em entrevista a EXAME.com.

Após comprar os smartphones usados, a Recomercio limpa os dados armazenados no aparelho e até troca peças (no caso de gadgets que estejam com problemas). Depois disso, a empresa coloca os celulares à venda no Refone.

Até o momento, Bertaud afirma que a startup já vendeu cerca de 300 smartphones usados por preços que chegam a 1.999 reais. Mercado Livre, OLX e outros sites de classificados são considerados concorrentes por Bertaud.

No futuro, ele quer criar versões de seus sites para smartphones e tablets. Ele também pensa em levar o Redial e o Refone para lojas de varejo.

“Até o fim de 2015, minha meta é ter comprado 15 mil smartphones e vendido 12 mil gadgets”, afirma Bertaud.

Definições

ImagemSaudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta
um capítulo.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.

Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não… Amor é um exagero… também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,
Esse negócio de amor, não sei explicar.

(Adriana Falcão)

Perdi meu bolão veeeeeeeeeeeeeeeei!

ImagemPUTA QUE PARIU!! PERDI o bolão! Mas também quem colocaria 4×2 para o Brasil né?! Ainda mais contra o Time do Chaves, da Dona Florinda, do seu Barriga velho! Caralhious, ninguém teria tanta audácia assim para desafiar 14 meses de aluguel atrasado!

É minha moçada, escolhi um placar muito alto, apesar de não entender, nem gostar e muito menos assistir Futebol, foi um placar exagerado. Mas a verdade é que tanto faz! Sinceramente não esperava ganhar este bolão mesmo. Afinal pra quem não entende nem 6 e nem meia dúzia de Futiba qualquer placar tá valendo. Estamos em COPA do mundo(heeey que felicidade), então temos que dá um alô né…fazer social blá blá blá etc e tals.

CLARO que torço para o meu país! Se não fosse ele eu não estaria vivendo nesta terra maravilhosa, cheia de festas boas, garotas lindas, sertanejo exagerado, House, Nutella a R$8,55 aqui perto de casa! (PQP!!! Sucesso demais).

Apesar de estar em clima de Copa, eu preferiria estar assistindo um filme ou fazendo outra coisa qualquer. Como nunca fui fã mesmo de futebol, qualquer outra Praia tá valendo(até aquela de assistir filme abraçadinho com a minha gatinha, tipo época de 12 anos tá ligado?!)

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk(tá bom, chega já.)

O engraçado é como a vida é, pessoas veem e vão e só deixam o melhor. Pessoas hão de vir. O que acho importante é aproveitar o momento e tratá-lo sempre como único. Afinal não somos donos do Futuro, temos que viver o agora, o presente construindo um Futuro. Isso me faz lembrar da Fibra Moral. Alguém lembra disso? Bom, irei explicar de forma rápida e otimizada!

Tinha um filme, CLÁSSICO de romance/drama/felicidade/xorôrô de um adolescente que apaixona na vizinha (Spoiler FUDIDO hahaha) e por incrível que pareça o nome do filme é “Show de Vizinha”. A história é bacana, o romance é belo e ele consegue o que ele sempre desejou(Clichê em todo o romance americano).

Pois bem… afinal o que é fibra moral?

Quero dizer, eu achava que era sempre dizer a verdade, praticar boas ações, resumindo ser a droga de um escoteiro… Mas ultimamente vejo de modo diferente. Agora acho que fibra moral tem a ver com encontrar o que importa. Aquela coisa especial que para nós significa mais que tudo. E quando a encontramos lutamos por ela… Arriscamos tudo. Nós a colocamos acima de tudo, do futuro, da vida tudo. Por ela podemos até não agir de modo correto. Não importa. Porque no fundo sabemos que o esforço justifica o resultado. Isso é a essência da fibra moral.

Capitou capitu?!

Pois é Galera, fecho meu texto com esta passagem do filme. E como escritor nato(graças a um grande amigo meu), descobri que mesmo não sendo Pedro I, eu tenho o DOM! Às vezes minhas ideias não são tão coerentes, mas o blog é meu e escrevo o que eu quiser.

Leitores fiéis obrigado mais uma vez, eu sei que escrevo muito para mim, mas também sei que tenho leitores atenciosos. Poderei sumir por um tempo(bom tempo quem sabe), mas retornarei em breve(sqn).

Minha fase da vida: Feliz. O que eu espero: Muitas coisas. Meu fds? –> Top pra caralho, aconteceu várias coisas(Fui pego de surpresa.)

O que eu preciso daqui pra frente? Uma garrafa de tequila, um amor debaixo do braço e um bom Edredom.