5 COISAS QUE OS HOMENS NÃO REPARAM NA HORA H.

Vamos ser bem realistas né meninas, nem as atrizes de Hollywood estão impecáveis o tempo todo, então vamos ver o que eles menos reparam na hora H..
ffff1- Maquiagem cabelo: vocês acham que naquela fogueira que vocês vão estar ele vai reparar no seu cabelo e na sua maquiagem??!! Desapega amiga, homem não é reparador nessas coisas..
2-Celulites e estrias: esse é um dos pavores da mulherada, mas vou ser bem realista, lá no rala e rola você acha que ele vai ficar parando para olhar suas estrias e celulites?? Sendo que isso é uma das coisas mais normais do mundo
3-Depilação: óbvio que isso é mega importante, mais quem já não deixou de sair com o bofe por causa disso??!! Eis que homens não curtem muitos pelos não, mais se você estiver com um pouquinho ele vai entender e não vai ter problema, afinal pelos crescem e para ficar bunitinha de novo, tem que ter pelos para arrancar né?!
4-Lingerie: fique tranquila, do mesmo jeito que você usou aquela lingerie linda e maravilhosa, ele não reparou, não fique preocupada em usar aquela calcinha bege, eles não se importam com a embalagem e sim com o conteúdo.
5-Quilinhos: não fique com essa neura de barriga seca, seios pequenos bunda pequena, se ele aceitou ir para a cama com você é porque ele te aceita do jeito que você é, então desencana amiga, claro não relaxe no corpitio mais não fique com essa neura.

Os efeitos da “Falta de Vontade”

desanamoQue a Luz espargida pela Espiritualidade Maior recaia sobre ti, meu Irmão, para que teus avanços no conhecimento de ti mesmo auxiliem teu progresso espiritual.

Muitas vezes uma simples palavra usada corriqueiramente quando colocada sob análise torna-se deveras interessante. Coloquemos, pois, sob análise a palavra “vontade”. Que é vontade? Qual seu significado? Vontade, meu Irmão é uma força psíquica que movimenta nossas energias e coloca em atividade as determinações da inteligência, conduzindo-nos ao exercício do bem, à nossa defesa contra os ataques e superação dos males que impedem nossa escalada rumo ao Divino.

Se a vontade é tudo isso, a falta dela nos torna apáticos, desanimados, indolentes e indiferentes, não é mesmo? Partindo desse princípio, convido-te a mergulhar comigo no exame detalhado da “falta de vontade”.

A falta de vontade no ser humano é uma deficiência que lhe trás inúmeros prejuízos exercendo, inclusive, grande influência nas demais imperfeições que o dominam. Tal deficiência, geralmente passa a manifestar-se na infância, podendo ter origem congênita ou causada por falta de incentivos ou mesmo de necessidades. Logo, podemos afirmar que os movimentos da vontade ainda que pequenos ou mesmo grandes são impulsionados pela necessidade e pelo estímulo.

A necessidade atua sobre a vontade determinando movimentos automáticos causados pela urgência do cumprimento de uma exigência que não pode ser evitada. Exemplificando, o piscar de olhos diante da ameaça de serem atingidos por algo.

O estímulo, por sua vez, além de agir sobre a vontade, ativa tanto a inteligência quanto o sentimento, despertando um grande desejo de substituir a carência pela abundância em cada um dos setores da vida em que a vontade desempenha papel principal.

Como podes observar, meu Irmão, quando passamos a esmorecer face nossa deficiência, se colocarmos em uso o antídoto ou a antideficiência que é a decisão teremos fortalecido nosso temperamento tornando-nos capazes de realizações antes consideradas como impossíveis de realizar. Contudo, para que tenhamos sucesso nessa empreitada, ao praticar a antideficiência nos casos de falta de vontade temos que contar com uma qualidade indispensável em nossa vida, a qual denominamos de “responsabilidade”. A responsabilidade é indispensável para a prática de qualquer antideficiência. Abro aqui  um parêntese para lembrar que responsabilidade não pode ser confundida com imposições rígidas. Seja suave consigo mesmo exercer a responsabilidade. Tudo que é suave, persistente e amorável é imbatível. Elabore atrativos para mantê-lo vigilante. No caso presente, aquele que quer ver triunfar a decisão deve opor-se contra a falta de energia ou apatia, com todo seu empenho até combatê-la para finalmente triunfar.

Na prática, em primeiro lugar, torna-se necessário desejar algo, querer realizar algo com tal intensidade que faça a antideficiência ser acionada. Saber que estamos colocando em prática uma disposição nascida de nós mesmos que nos beneficiará, irá modificar nossas vidas para muito melhor.

Realizações sadias e importantes exigem que se dê um passo a mais. Saia do conforto ilusório em que vives meu querido Irmão e dê o primeiro passo em tua vida para tua libertação. Abre as portas de tua morada interior e veja o que lá encontras. Não necessitas de fatores externos para ser feliz.

Começa hoje mesmo a tomar o antídoto para tua deficiência de falta de vontade que obsta teu crescimento como filho de Deus. Não esmoreça, por favor! Pratica a decisão. Decide passar o esmeril em tua alma vencendo tuas deficiências. Então, Irmão de minha alma, ao final de tua caminhada terrena, ao apreciares mais uma vez a inigualável beleza produzida por Deus ao pintar o por do sol que tanto admiras, teu coração estará em paz pela etapa vencida e terás uma enorme alegria de ser um vencedor. Venceste a ti mesmo… Isso é possível. Acredite em mim.

Com amor,
Irmão Savas
(Mentor do Núcleo Espírita Nosso Lar)

Fadiga Crônica

fahgAndo muito cansado, doutor. De manhã, para levantar da cama é o maior sacrifício. Mal chego no trabalho, já quero voltar para casa.

Cansaço é uma das cinco queixas mais frequentes dos que procuram os clínicos gerais. Nessas ocasiões, cabe ao médico encontrar uma causa que justifique a falta de disposição.

As mais comuns costumam ser:

* Doenças cardiovasculares (insuficiência cardíaca, arritmias, etc.);

* Doenças autoimunes (lúpus, polimiosite, etc.);

* Doenças pulmonares (enfisema, quadros infecciosos, etc.);

* Doenças endócrinas (hipotireoidismo, diabetes, etc.);

* Doenças musculares e neurológicas;

* Apneia do sono e narcolepsia;

* Abuso de álcool e outras drogas;

* Obesidade;

* Depressão e outros distúrbios psiquiátricos;

* Infecções;

* Tumores malignos.

A experiência mostra que contingente expressivo de pessoas que se queixam de cansaço, não se enquadra em nenhum desses diagnósticos. A tendência dos médicos nesses casos é atribuir a queixa às atribulações da vida moderna: noites mal-dormidas, alimentação inadequada, falta de atividade física, problemas psicológicos ou mera falta de vontade de trabalhar.

Alguns desses pacientes, no entanto, sentem-se muito mal, excessivamente cansados, incapazes de concentrar-se no trabalho e executar as tarefas diárias. Inconformados, fazem via sacra pelos consultórios atrás de um médico que leve a sério seus problemas, lhes ofereça uma esperança de melhora ou, pelo menos, uma explicação para o mal que os aflige.

São os portadores da síndrome da fadiga crônica, diagnosticada mais frequentemente em mulheres do que em homens.

Na maioria das vezes, a doença se instala insidiosamente depois de um episódio de  resfriado, gripe, sinusite ou outro processo infeccioso. Por razões desconhecidas, entretanto, a infecção vai embora, mas deixa em seu rasto sintomas de indisposição, fadiga e fraqueza muscular que melhoram, todavia retornam periodicamente, em ciclos, durante meses ou anos.

Como diferenciar esse estado de fadiga crônica, daqueles associados às solicitações da vida urbana?

Não há exames de laboratório específicos para identificar a fadiga crônica. De acordo com o International Chronic Fatique Syndrome Study Group, o critério para estabelecer o diagnóstico é o seguinte: considera-se portadora da síndrome toda pessoa com fadiga persistente, inexplicável por outras causas, que apresentar no mínimo quatro dos sintomas citados abaixo, por um período de pelo menos seis meses:

* Dor de garganta;

* Gânglios inflamados e dolorosos;

* Dores musculares;

* Dor em múltiplas articulações, sem sinais inflamatórios (vermelhidão e inchaço);

* Cefaleia com características diferentes das anteriores;

* Comprometimento substancial da memória recente ou da
concentração;

* Sono que não repousa;

* Fraqueza intensa que persiste por mais de 24 horas depois da atividade física.

Alguns estudos sugerem que predisposição genética, doenças infecciosas prévias, faixa etária, estresse e fatores ambientais tenham influência na história natural da enfermidade. Condições como hipoglicemia, anemia, pressão arterial baixa ou viroses misteriosas também são lembradas, mas a verdade é que as causas da síndrome da fadiga crônica são desconhecidas.

A evolução da doença é imprevisível. Às vezes, desaparece em pouco mais de seis meses, mas pode durar anos ou persistir pelo resto da vida.

A ignorância em relação às causas da síndrome, explica a  inexistência de tratamentos específicos para seus portadores. Os sintomas são passíveis de tratamentos paliativos, entretanto anti-inflamatórios são recomendados para as dores musculares ou articulares; drogas antidepressivas podem melhorar a qualidade do sono.

Mudanças de estilo de vida podem ser úteis. Os especialistas recomendam uma dieta equilibrada, uso moderado de álcool, exercícios regulares de acordo com a disposição física e a manutenção do equilíbrio emocional para controlar o estresse.

Reabilitação fisioterápica e condicionamento físico são fundamentais para a manutenção da atividade física e profissional.

Como em todas as doenças mal conhecidas, proliferam os assim chamados tratamentos naturalistas, alguns dos quais apregoam resultados milagrosos para a fadiga crônica. Infelizmente, não há qualquer evidência científica de que eles modifiquem a evolução da doença.

Retirado do (ARTIGOS DRAUZIO)

Refazendo

Hoje Aconteceu algo extraordinário comigo, e que definitivamente mudou a minha vida pra sempre. Eu gostaria de compartilhar um texto que li há algum tempo e que me lembrou que somos seres imortais, tolos porém imortais. Tudo depende somente de você.

Be Successful Step 14 Version 2.jpg

  • 1- Seja persistente. Você falhará – isso é fato. O que o definirá é sua forma de se levantar. Não desista. Se sua primeira tentativa não funcionar, não desista.
    • Não permita que a falha lhe defina. Quando perguntado sobre suas 10.000 tentativas falhas de desenvolver uma bateria, o prolífico inventor americano Thomas Edison respondeu: “Eu não falhei; apenas encontrei 10.000 formas que não funcionam”. [3]
    • Não dê desculpas. Não racionalize sua falha ao colocar a culpa em alguém ou em alguma coisa. Aceite quando algo for sua culpa. Isso o ajudará a identificar o que deve mudar para melhorar. Uma desculpa após uma falha é recusar melhorar a situação.
    • Aprenda com suas falhas. Cada falha é uma oportunidade para aprender. Se você cometer um erro e se recusar a aprender, é possível que o mesmo problema ocorra novamente no futuro. Se você cometer um erro e aprender com ele, não desperdiçará seu tempo cometendo-o novamente.
  • Be Successful Step 15 Version 2.jpg
    2- Aceite que a vida é injusta. É um fato. Você pode bocejar e desejar que as coisas sejam diferentes, ou pode se levantar da cadeira e agir. Pare de desperdiçar tempo com o quanto a vida é injusta e pense em como usar a situação para seu benefício. Newton poderia ter reclamado da maçã que caiu em sua cabeça. Em vez disso, ele identificou a lei da gravidade, sendo que hoje ele é conhecido como pai da física.
  • Be Successful Step 16 Version 2.jpg
    3 –Lembre-se de que o sucesso não garante a felicidade. O sucesso deve ser visto como a conquista de um objetivo, mas não assuma que isso lhe trará felicidade. Muitas pessoas cometem o erro de pensar que o ato de conseguir isso ou aquilo lhes fará felizes. A satisfação e realização têm muito mais a ver com como você aborda a vida do que com o que faz nela. Mantenha isso em perspectiva.
    • Não queime pontes no caminho. A vida exige muitos relacionamentos pessoas; portanto, não os negue. Se você evitou um jeito barato e eficiente de fazer uma fissão nuclear mas não possuir amigos, esposa e admiradores, isso terá valido à pena?
    • Valorize experiências, e não objetos. Humanos podem ser extraordinariamente obcecados por dinheiro. É estranho, também, que cientistas pensem que as experiências – memórias – nos tornam mais felizes que objetos comprados com dinheiro. [4] Foque em criar grandes memórias com grandes pessoas no caminho e você será feliz.
  • Be Successful Step 17 Version 2.jpg
    4 – Remova o medo e a dúvida de seu caminho. Foque em manter a positividade em todas as situações. Você ficará surpreso com como você será eficiente quando permitir que os pensamentos guiem suas ações, e não o contrário. Se você falhar, não tema em recomeçar; fique feliz por ter recebido a chance de ser ainda mais bem-sucedido.

(Retirado do WikiHow)

6 informações que motoristas precisam saber sobre os ciclistas no trânsito

bike-transito-ecodNesta semana foi lembrado o Dia do Ciclista. Ao mesmo tempo em que crescem os movimentos pró-bike em boa parte do país, também é verdade que muitos adeptos das bicicletas seguem vivenciando inúmeras agruras no trânsito, o que ajuda a desestimular o uso desse meio de transporte não poluente e que não congestiona a cidade.

O Movimento Salvador Vai de Bike listou algumas informações relevantes, baseadas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a fim de reforçar que os ciclistas também devem ter o acesso respeitado às ruas, avenidas e estradas brasileiras, sem sofrerem qualquer tipo de discriminação e/ou agressão. Os dados são os seguintes:

  • O ciclista não é um obstáculo nas vias. Ele faz parte do trânsito;
  • A bicicleta é um veículo. E pelo Código Brasileiro de Trânsito Brasileiro (CTB), pode circular pelas ruas e estradas assim como carros e motos;
  • É infração gravíssima dirigir ameaçando ciclistas. Você pode até perder o sei direito de dirigir (Art. 170);
  • Ao ultrapassar uma bicicleta, respeite a distância lateral de 1,5m entre ela e o seu veículo;
  • É infração grave colar na traseira de uma bicicleta ou apertá-la contra a calçada (ARt. 192);
  • O carro deve sempre dar preferência de passagem ao ciclista. É lei (Art. 214).

Vale lembrar também que ciclista legal respeita as regras de trânsito, os motoristas e os pedestres. Em uma cidade sustentável, os diferentes meios de transporte convivem harmonicamente, o que traz uma série de benefícios para a mobilidade urbana e a sociedade de uma forma geral.

por EcoD | foto Eduardo Zárate