Mito

romantic and scenic panorama with full moon on sea to night

“Se soubéssemos a magnificência que o desejo pode despertar, jamais ousaríamos sair do limbo sem viver. A grandiosidade está nos detalhes.”

A Grande Noite

FAMILY

Estava frio, sombrio e ventando muito forte, era madrugada de outono, os ventos gelados sucumbiam aos meus ouvidos, conseguia ouvir os lobos uivando através da densa floresta negra que preenchia a visão de meu jardim através da janela.

Logo, comecei a suspirar, senti um forte calafrio caminhando pela minha coluna e me deparei com pequenos sussurros.

Eles foram aumentando… e quando fechei meus olhos pude perceber o que estava formando esse sussurro.

Era uma palavra diferente, forte e vívida!

Consegui sentir o sabor dessa palavra ao tocá-la com minha mente.

E assim eu a ouvi eternamente…

Shinay…. Shinay… Shinay…

 

EGOÍSMO: ILUSÃO DO PODER

pensamentos-e-fragmentos-do-conhecimento

Na aprendizagem do amor, um ponto importante é dar-se conta como somos egoístas. Todos os seres humanos, em graus distintos, vivem pensando em si mesmos. É um comportamento natural.

Nascemos e aprendemos a dizer “meu pai”, “minha mãe”, “meu brinquedo” – e não é à toa que esses pronomes se chamam possessivos.

Quando chegamos, pela primeira vez, aos braços do nosso pai ou da nossa mãe, também ouvimos “minha filha”, “meu filho”.

O sentimento de posse e apego é vital para a sobrevivência. Mas, ao longo da vida, reforçamos tanto esse apego que nos esquecemos de aprender a compartilhar, a dividir afetos, tempos, coisas, espaços.

É verdade que cada um de nós é um ser único, especial, sem outra réplica no mundo, com capacidade de amar e ser amado da forma mais intensa possível, com potencial para todo sucesso desejado. Um ser digno de toda beleza e riqueza que a vida pode oferecer.
Mas também é verdade que todos os seres humanos têm esses mesmos direitos.

Uma regra básica de convivência é reconhecer que, se nos sentimos as pessoas mais importantes do mundo, os outros seres humanos têm a mesma sensação em relação a eles próprios. E, portanto, para haver harmonia num relacionamento, é necessário que se saiba compartilhar.

O ser humano, em seu processo de crescimento no amor, descobre que é um ser grupal, relacional. Existe, assim, o amor ao grupo, aos outros, com condição da sobrevivência de todos. É preciso que haja amor recíproco para que todos se desenvolvam.

A pessoa egoísta, que apenas recebe afeto e não o devolve, ou raramente o faz, acabará ficando sem amor. Na dinâmica do crescimento do amor, a reciprocidade constante é um elemento imprescindível.

O egoísmo não se define apenas por aquilo que uma pessoa quer para si, mas sobretudo por ela não dar o mesmo direito aos outros.

O fato de alguém não querer emprestar um livro, para não o estragar, não significa necessariamente que seja egoísta. Mas exigir que todas as pessoas lhe emprestem os livros que ele pede, sem direito a dizer não, isso é um forte sinal de egoísmo.

Mais radicalmente, o egoísmo é querer transformar os outros em propriedade nossa. Quando você tem a sensação de que o outro lhe está sendo tirado é porque, na verdade, você apenas o tratava como uma coisa que possuía.

O parceiro não estava realmente integrado ao seu ser. Quando amamos uma pessoa, queremos que ela seja livre. Essa liberdade do outro nos dá segurança. Ele é livre e, portanto, está comigo porque quer, porque realmente me ama. Nada o obriga. E nossa preocupação passa a ser mais dar do que exigir.

As pessoas egoístas necessitam que seu par sempre se dedique por inteiro a elas. Exigem permanentes provas de amor e têm atitudes ameaçadoras de abandonar o parceiro se não forem atendidas.

Exigem do outro um amor estável, mas, ao mesmo tempo, passam-lhe a impressão de não estar amando totalmente, para provocar insegurança e estimular o companheiro a sentir-se inferior em seu amor, com medo de ser abandonado.

Pretendem conseguir, com essa manipulação, que o outro lhes dê sempre mais e peça cada vez menos. São pessoas que reclamam mais presença, mais atenção, mais cuidados, não por sentimento de amor, mas com o intuito de não perder o controle e não dividir nada com ninguém.

E a resposta do outro também não é, na maioria das vezes, de amor. É uma resposta carregada de medo pela possibilidade de ser abandonado, castigado, ridicularizado.

O que se observa aqui? De um lado, possessividade e, do outro, uma sensação de inferioridade, que pode ir do medo submisso à raiva. Todos esses sentimentos são bem diferentes do amor.

É difícil perceber nosso egoísmo. Não é comum admiti-lo, porque nem sempre temos consciência de que é tão ruim essa ânsia de sermos “felizes” a qualquer custo (para o outro, é claro!). Essa felicidade, porém, é uma ilusão.

O egoísta imagina ter um poder, mas já perdeu o poder de amar. Embora seja difícil identificar o egoísmo, há indicações desse sentimento, algumas claras e outras bastante sutis:

· Fazer um programa a dois e não consultar o parceiro, informando-o apenas. E irritar-se ao não contar com a sua companhia ou aprovação.

· Chegar ao restaurante e fazer o pedido ao garçom, sem perguntar a quem o acompanha o que deseja comer.

· Falar o tempo todo e não parar para escutar o companhante.

· Dizer: “Eu sei o que é melhor para você”, em vez de perguntar: “Do que você precisa? Do que você gosta?”.

· Não se sentir feliz com o sucesso do par.

· Não incentivar o crescimento do companheiro.

· Não se preocupar em atender alguma necessidade do outro, por achar que é bobagem.

· Não se lembrar do parceiro em momentos de alegria.

· Não dividir uma dor num momento difícil.

· Chegar em casa e, sistematicamente, isolar-se no trabalho, na leitura, diante da televisão ou do computador.

. Trabalhar demais e só chegar em casa para dormir.

· Não respeitar o limite da outra pessoa.

· Desqualificar o sentimento romântico do ser amado.

· Não dividir tarefas domésticas.

· Gastar mais dinheiro consigo próprio do que as possibilidades financeiras do casal permitem.

· Não cuidar do outro quando ele precisa.

. Não se cuidar, para fazer o outro feliz.

. Não apoiar o companheiro em momentos de dor ou de dificuldades profissionais.

· Pensar que todos os problemas da relação são apenas responsabilidade do companheiro.

· Exigir ser amado, mas não amar.

Para quem, neste momento, está se dando conta de suas ações egoístas, é importante perceber que você dormirá na cama que estiver preparando. O egoísmo leva necessariamente à solidão… Uma pessoa que se torna infeliz por causa do egoísmo do outro jamais terá condições de fazer esse outro feliz.

Crie o amor que você merece. Escute o outro. Tenha prazer em fazê-lo feliz, e ele dará a você, de presente, a felicidade que você mesmo ajudou a construir.

Roberto T. Shinyashiki

Texto do Livro: “Amar pode dar certo”
Roberto T. Shinyashiki
Editora Gente

(Curto um café!!!!)Os cafés inspirados em super-heróis onde até a comida é personalizada para os fãs

Se os fãs de Star Wars ficaram malucos com o restaurante inspirado na saga que abriu em São Paulo (SP), é a vez dos fãs do universo DC se maravilharem com cafés que fazem referência a super-heróis …

Fonte: Os cafés inspirados em super-heróis onde até a comida é personalizada para os fãs

Religião

f.jpg

A religião é um sistema de doutrinas e promessas que, por um lado, lhe explicam os enigmas deste mundo com perfeição invejável e que, por outro lado, lhe garantem que uma Providência cuidadosa velará por sua vida e o compensará, numa existência futura, de quaisquer frustrações que tenha experimentado aqui. O homem comum só pode imaginar essa Providência sob a figura de um pai ilimitadamente engrandecido. Apenas um ser desse tipo pode compreender as necessidades dos filhos dos homens, enternecer-se com suas preces e aplacar-se com os sinais de seu remorso. Tudo é tão patentemente infantil tão estranho à realidade, que, para qualquer pessoa que manifeste uma atitude amistosa em relação à humanidade, é penoso pensar que a grande maioria dos mortais nunca será capaz de superar essa visão da vida. Mais humilhante ainda é descobrir como é vasto o número de pessoas de hoje que não podem deixar de perceber que essa religião é insustentável e, não obstante isso, tentam defendê-la, item por item, numa série de lamentáveis atos retrógrados.

Sigmund Freud

O Mapa Matemático de Nikola Tesla

Parece que décadas depois de ter deixado o planeta, Nikola Tesla continua inovando com suas invenções e criações. Dessa vez o engenheiro, inventor, poliglota, marciano, etc, Nikola Tesla,  teria se aventurado na Matemática.Mapa-Tesla-To-no-Cosmos.jpg

Uma suposta descoberta recente de desenhos de Nikola Tesla revelando um mapa de multiplicação que contém todos os números em um sistema simples de se usar foi descoberto. Os desenhos foram descobertos em uma loja de antiguidades em Phoenix, capital do Arizona, por Abe Zucca, segundo o site CBS News.

Acreditam que os desenhos tenham sido criados nos últimos anos do Laboratório de Energia Livre de Tesla, o Wanderclyffe. O manuscrito aparenta ter muitas soluções para perguntas ainda sem respostas sobre matemática.

Os esboços estavam escondidos em um baú com vários outros desenhos e manuscritos, desde tecnologias portáteis à sistemas de energia livre. Alguns já são conhecidos do público, enquanto outros ainda não são.

Nicola-Tesla-To-no-Cosmos-260x300O “Mapa para Multiplicação” ou a “Espiral Matemática”, foi a descoberta mais notável.

Dias após a descoberta o matemático, Joey Grether trabalhou duro para decifrar o sistema e obteve êxito. Grether sugere que a Espiral não apenas explora a multiplicação como uma rede entrelaçada, mas também ‘oferece um entendimento visual de como todos os números são auto-organizáveis em 12 posições de componibilidade’.

“Esse dispositivo nos permite ver os números como padrões, a formação de números primeiros,  primos gêmeos, multiplicação e divisão, também outros sistemas que eu acredito que ainda serão descobertos”, diz o Professor Joey.

O diagrama é bastante intuitivo, permitindo os estudantes a verem como os números trabalhão juntos baseados em uma espiral com 12 posições. 12 ou múltiplos de 12, é o maior sistema de números altamente compostos, o motivo do qual temos 12 meses em um ano, 12 polegadas na medida de ‘pés’, 24 horas em um dia, e por aí vai.

Tesla é conhecido pela frase: “Se você soubesse da magnificência dos números 3, 6 e 9, então você teria a chave do Universo”. Quando a “Espiral Matemática” é analisada, a soma repetida dos dígitos dos números 3, 6, 9 e 12, se repetem constantemente na mesma sequência, 3, 6, e 9. Seria disso que Tesla estava falando?

Mapa-Espiral-Tesla-To-no-Cosmos-225x300

É difícil dizer, mas Joey Grether parece acreditar que sim. “Essa avanço é fenomenal. Se conseguíssemos que todos os estudantes do planeta usassem essa técnica, para brincar com ela, e ajudassem a descobrir como usá-la, nós conseguiríamos deixar de lado a aversão cultural que o povo tem em relação à Matemática. Ao invés de memorizar a tabela de multiplicação, poderíamos aprender a posição dos números e ter um entendimento melhor de como eles funcionam.”

Juan Zapata, aluno do Professor Joey disse: “Eu costumava dizer que era ruim em matemática… porque isso é o que todos dizem. Mas agora, eu tô tipo, cara, isso é muito fácil”.

Um outro fato curioso sobre a ‘Espiral de Tesla’, é que ela é datada em 12/12/12, 1912. Grether e seus alunos querem que dia 12 seja um feriado nacional em homenagem a um dos maiores cientistas que já existiu na face da Terra. Nikola Tesla.

Obs.: Alguns fóruns atribuíram a obra à Joey Grether, o CBS News afirma ter sido de Nikola Tesla.