Fibra Moral

Imagem

Encontrar aquilo de que gostamos mesmo, aquela “coisa” especial que significa mais para nós do que qualquer outra pessoa.

E quando a encontramos, lutamos por ela, arriscamos tudo, colocamos à frente de tudo, do nosso futuro, da nossa vida… de tudo… Talvez aquilo que fazemos para ajudar não seja muito correto,mas não importa porque no final das contas, quando voce olhar para trás, vai perceber que valeu muito a pena.

Prazer em “re”-conhecê-los. A vida começa agora.

Anúncios

Um dia em Moscou

Imagem

Estava frio, um clima cinza, tudo parecia Nova York, mas era Moscou. Estávamos em uma lanchonete, falando inglês, comendo nuggets, tomando cerveja com um nome estranho, era um nome russo. Tínhamos perdido o trem, por isso estávamos naquela lanchonete, que parecia padaria, mas vendia cerveja, então parecia uma lanchonete. Fomos para o Hotel, que ficava atrás de uma fábrica abandonada. Para chegar no Hotel, tínhamos que passar o corredor da fábrica, a fábrica era composta de mendigos e alguns ruídos estranhos. Parecia ser mal assombrado, a mesma estrutura de Chernobyl, um lugar ocupado por fantasmas e sombras estranhas. Mas o hotel era barato, por isso estávamos lá.Tínhamos nos hospedado no 25ª Andar, de frente ao nosso apartamento, tinha um outro hotel que cinco estrelas para ele era pouco. Um hotel grande, com vidros espelhados.

Na janela em frente ao meu apartamento, havia uma mulher, bonita, que me lembrava uma amiga de Silvânia. Depois de observar por alguns momentos, percebi que era a mesma de Silvânia(cidade do interior de Goiás). Como o apartamento dela era todo de vidro, parecia um reality Show. Fiquei observando a estrutura, e o desfecho. Ela assistia TV, ia para a cozinha de calcinha e blusinha, pegava uma cerveja, voltava para a cama, e teve uma hora que foi tomar banho, um verdadeiro espetáculo. Em algum momento ela foi atender a porta, parecia ser um rapaz, de chapéu, bigode e casacão preto, porém no desfecho do entrelaçamento dos dois, quando foram despindo-se percebi que era uma mulher disfarçada. Era tão bonita quanto ela, e novamente continuei a apreciar aquele Reality show. Num momento de devaneio, me deparei com elas me observando. Ao cumprimentá-las, por estarem em tremenda tranqüilidade, me deu conta que seria um convite. Sem pensar Duas vezes, já desci para o Hotel delas. Escutei ruídos no corredor enquanto descia os 25 andares de escada, pois o elevador não funcionava. Era estranho, eu tinha uma leve impressão que tinha alguém me seguindo… Ouvindo vozes de crianças no corredor, mas não via ninguém. Fiquei assustado, mas estava mais excitado que assustado então segui meu caminho.

Chegando ao apartamento das garotas, elas me receberam calorosamente. Foram os 40 minutos mais longos e tensos que minha vida pudesse calcular. Digo 40 minutos, porque tocaram o alarme de incêndio do prédio. Parecia que seria uma simulação, mas todos começaram a sair rapidamente. Ao olhar para o meu apartamento, vi um vulto de Duas pessoas de cabelos longos no meu apartamento. Mas como foi uma olhada rápida, fiquei com a idéia de que fosse ilusão. Parecia àquela menina do Filme “O chamado”, mas fiquei com a segunda opção. Ao chegar ao térreo do prédio, já tinha me perdido das meninas, e estava mais preocupado com elas com a situação em si. De um momento para outro já estava nevando, era 21:37 quando olhei no relógio e saí na calçada. Vi alguns idosos conversando em português, e percebi que aquele hotel era um bordel chique. Fiquei impressionado por tamanho do prédio. Mas era um mero detalhe.

Voltando para meu apartamento, atravessando a fábrica, comecei a escutar grunhidos pelo lugar,  e resolvi correr, afinal não estava preparado para nenhuma surpresa. No meio das escadas, me deparei com uma horda de alguma coisa subindo as escadas, vi um rastafári estranho, parecendo tribo africana, e umas frases e grunhidos estranhos, como se não fosse real, a adrenalina tomou conta de mim e deparei a correr novamente. Chegando a meu apartamento, escutei uma tremenda explosão que tremeu as estruturas do meu apartamento. Fiquei indignado com aquilo, e ao olhar pela janela, percebi que algo tinha explodido na porta da fábrica.

Parecia uma bomba de fusão de matéria invertida, pois o lugar estava sendo “Engolido” por alguma cratera, ou podia ser somente uma mina que estava abaixo do local. Nunca saberei. Quando percebi o prédio estava desmoronando de lado. vi uma criança e a síndica caírem na outra ponta do quarteirão do meu apartamento. Naquele desespero, lembrei que as vezes eu adquiria “XP” com as jogatinas de moleque e como não tinha outra opção eu corri em direção oposta aquela erosão progressiva. Quando me deparei com um parapeito, simplesmente me joguei. Por incrível que pareça, dava de frente pra uma névoa, e além da névoa estava um lago gigante. O que me deixou intrigado não foi a questão do lago, mas a sensação de liberdade que tive ao estar em Queda livre. O ar batendo no rosto, como se pudéssemos voar. Era uma sensação boa, porém antes que eu pudesse chegar à água eu acordei…

Que sonho magnífico. Não consigo parar de pensar nas duas meninas.

Imagem

cotidiano em estados anímicos distintos

Ele tinha aquele jeito de caminhar, típico de quem sabe exatamente onde quer chegar.
Era aquele tipo de cara que parece sorrir mesmo estando sério. Um semblante fechado porém receptivo.
Durante qualquer diálogo parecia examinar a outra pessoa, nada ofensivo. Se prendia em tudo que não era dito. Avaliava a postura, os gestos, os movimentos e tudo aquilo que costuma escapar.

Durante o dia, sempre que o pensamento vagueava por ai, era nela que ele pensava.

Todos tinham problema, ele não. Tinha o mundo no bolso!
Quando levantava da cama, agradecia.
Quando ia dormir, agradecia mais…

Ele tinha aquele jeito de caminhar, típico de quem está completamente perdido.
Era aquele tipo de cara que descobriu ser o sorriso a arma contra qualquer pergunta muito pessoal. Um semblante fechado aparentemente receptivo porém sem muita emoção.
Durante qualquer diálogo parecia se esconder da outra pessoa, nada atraente. Tinha medo de tudo que não era dito. Se perdia na postura, gestos, movimentos e tudo aquilo que costuma ser normal.

Durante o dia, sempre que o pensamento vagueava por ai, era nela que ele pensava.

Ninguém tinha problemas, ele sim. Estava no bolso do mundo!
Quando levantava da cama, lamentava.
Quando ia deitar, lamentava mais…

(Criado por Zemaneh)

5 motivos para você não sair da cama

Imagem

1 – O colchão é muito BOM! Principalmente quando você está pregado de sono! Ele acaba de se tornando um mar de plazer e relaxamento mega ultra power!

2 – Sabe aquela sensação de moleza que você tem quando acaba de abrir os olhos, aquela vontade master de nunca mais querer levantar? Pois bem, isso tem um nome, se chama falta de DOPAMINA. Quando acordamos, não liberamos dopamina pois o corpo encontra-se em estado de respouso prolongado, daí vem aquela expressão: “Pô, o cara dormiu e ainda ta com sono!”. ou seja, é bom demais!!!

3 – A principal razão para se dormir na escuridão é o aumento dos níveis de melatonina, um hormônio essencial para a regulação do sono e suas consequentes melhorias no organismo. E ele é liberado no corpo de acordo com a luminosidade do ambiente em que a pessoa está dormindo. Quanto mais escuro, melhor o sono, se estiver em uma boa cia então… se é que você me entende.

4 – Sabe aquele dia que você tem que trabalhar, e você acorda com tanto sono, com uma vontade mórbida de jamais querer levantar, parece que o sono está incompleto? Então! Ele ESTÁ INCOMPLETO!  Volte pra cama e DURMA! Essa é uma das melhoras sensações que se pode ter na vida, estudos relatam que isto é característica  de um “Sonho de Anjo”. Ou seja, você pode até perder o dia de trabalho ou escola, mas terá uma das melhores manhãs de sono da sua vida!

5 – Paralisia do Sono é uma condição caracterizada por uma paralisia temporária do corpo imediatamente após o despertar ou, com menos freqüência, imediatamente antes de adormecer. Fisiologicamente, ela é diretamente relacionada à paralisia que ocorre como uma parte natural do sono REM, a qual é conhecida como atonia REM. A paralisia do sono ocorre quando o cérebro acorda de um estado REM, mas a paralisia corporal persiste. Isto deixa a pessoa perfeitamente consciente, mas incapaz de se mover. Além disso, o estado pode ser acompanhado por alucinações hipnagógicas. Com frequência, a paralisia do sono é vista pela pessoa afligida como nada mais do que um sonho. Isto explica muitos relatos de sonhos nos quais as pessoas se vêem deitadas na cama e incapazes de se mover. As alucinações que podem acompanhar a paralisia do sono tornam mais provável que as pessoas que sofram do problema acreditem que tudo não passou de um sonho, já que objetos completamente fantasiosos podem aparecer no quarto em meio a objetos normais. Alguns cientistas acreditam que este fenômeno está por trás de muitos relatos de abduções alienígenas e encontros com fantasmas. E é claro, o bicho papão existe! Então não saia da cama com o pé esquerdo NUNCA, pois ele pode te pegar debaixo da cama. Aí é complicado.. já existe vários relatos que o Governo ocultou esta informação, mas É VER-DA-DE! Ou pode ser um gray fazendo algum experimento alienígena contigo conforme anteriormente.

Mas resumindo, durmir é algo fundamental, o mínimo para uma boa noite de Sono é 8 horas bem durmidas, não precisa mais que isso, nem menos, 8 é ideal. Além do mais, quando você acorda cedo, o seu dia rende mais, você fica mais feliz.

Pense nisso! Durmir é saúde!

A fantásFICA Fábrica de… SÓ QUE NÃO!!!

Imagem

“Era uma vez”, “Certo dia”, “Em meados do século..” e blá blá blá etc e tals! Engraçado como cada conto de fadas começa com um Enredo histórico propriamente definido, isso é algo tão clichê para a literatura que antes mesmos de começarmos a ler o texto, já sabemos de todos os finais possíveis. Na verdade o termo “conto” já implica ser algo com final feliz, isso é tão estranho e sagaz que deixa uma redudância quando se trata de algo no dia a dia.

Comparando os contos com o dia a dia, podemos perceber que são reflexos do nosso cotidiano. Veja bem, você um moleque, naquela idade de pirralho juvenil, criado a leite moça, todo inocente, e sua mãe diz: “Ê menino, NÃO encosta no fogão, porque tá QUENTE, vai QUEIMAR lazarento!!”, mas você não, você é inocente, meio juvenil, mesmo sabendo o significado de “queimar”, “não”  e “encostar” não consegue fazer uma associação coerente, e toca a mão lá no fogão. RESULTADO!?!? queimou rapaiz!!! chorou demais! e ainda levou aquela surra básica como lição!

Tá vendo como o mundo é? Isso naõ é somente com as crianças, o ser humano tem uma percepção muito alta para se dar mal. Parece que ao acordarmos, estamos totalmente dispostos a usufruir da lei de Murphy em todos os sentidos. Você vai para o trabalho, perde o ônibus, aquela esfirra que você come na padaria, o cliente da frente pegou a ultima, você deixa o guarda chuva em casa, e é justamente no dia em que cai todas as águas do céu!

Isso é porque você está seguindo sua INTUIÇÃO!

O que?! como é que é?! É isso mesmo que você está ouvindo! A sua intuição não está errada, o que está errado é o seu modo de pensar.E digo mais, isso é decorrência da sua criação ao longos dos anos, essa manipulação cega e contagiosa que a mídia mundial pratica todos os dias, como se fosse algo essencial na vida do cidadão. É algo medonho, algo aterrorizante, você aprende desde pequeno que você tem que estudar, tem que trabalhar, tem que assistir televisão para se sentir “informado”, tem que malhar porque os atores são malhados, tem que comprar carro novo, porque saiu um modelo novo, tem que ter a ultima tecnologia na sua casa, porque a que você tem já não é tão boa assim. É MENTIRA!! Tudo é uma ilusão! Este mundo é um mar de ilusões! A verdadeira felicidade está na simplicidade. Sempre esteve e sempre estará!

Difícil é a pessoa conseguir definir o que é simples do que não faz falta. Hoje o mundo está fadado ao fracasso, as pessoas procuram status em vez de qualidade de vida, acham que é bonito morrerem de trabalhar, fazer muito dinheiro, deixar de viver as coisas simples por acharem que estão se dando bem! isso é errado. Viver simples não é largar tudo para trás e viver igual um mochileiro! Não que isso seja ruim, mas você tem que ter muita força de vontade. A palavra certa pra isso é “força de Vontade”. Cansei de escrever, até mais!

Viu como certos contos não tem nada de final já “pré” estabelecido?!

O Contador e o zé.

Imagem

Era uma vez um contador de Conto. Ele contava tantos contos que fascinava em tantos planos, pessoas que não tinham encanto. De noite era contador de Contos, de dia era apenas um contador. Trabalhava em uma empresa pequena, fazia dos números sua morada, e dos cálculos seu passa tempo, e dos contos suas viagens. Certo dia o contador de Contos começou a questionar, porque tamanha façanha ele teria para contar. Da noite para o dia, do dia para a noite, era assim seu modo de pensar! Mas a dúvida sucumbia seus pensamentos, às vezes beirava descontento, ou apenas uma idéia a pairar. Parecia um caboclo chamado zé maneh, talvez por falta de seus pés, pois o mundo da imaginação era sua terra,  igual do zé maneh. Mas zé maneh tinha os pés no chão, o contador não tinha não! Essa era a diferença entre os dois sonhadores, zé tratava da vida, contador de amores.

Um pensava com a racionalidade, o outro na mais pura insanidade, as vezes misturavam as ideias, mas o foco era surtar a platéia. Aí fico me perguntando de qual platéia eles se referiam, pois o contador era superficialmente abalado, já o zé maneh, uma fortaleza impenetrável. Podia comparar os dois a cavalheiros, de patentes distintas, mas com pensamentos alheios, ambos odiavam funkeiros! Mas vamos voltar ao foco, fui ao banheiro e já volto, de um mundo desigual, onde o contador fazia sua morada de forma triunfal, e o zé maneh falava: “ahh rapaiz..” quando seu sermão modafocamente enigmático começava. Sermão de conselhos bons, conselhos sábios e de tolos não tinha NADA! Na verdade Tolos eram os que ignoravam tamanha miscigenação de idéias, que formavam palavras, que construiam frases que mudavam o MUNDO! E continuam mudando, mesmo ele não sabendo, ou não querendo saber, mas é um jeito de pensar e de ser!
O mundo é algo interessante, existem pessoas que fazem a diferença e não notam esta habilidade, zé maneh é uma delas. Ele tinha o coração diferente, não posso dizer puro, pois puramente estaria mentindo, e mentir é algo errado, o Errado depende do ponto de vista, o contador mentia às vezes, mas porque ele é um idiota, zé maneh também é um idiota, mas de concepções diferentes.

Veja bem, o mundo titula ações com punições diferentes. Pois bem, não vamos perder o foco, mas que foco seria, se o mundo que é imundo e coerente, das decisões eloquentes?
Contador começou a ter uma nova visão, às vezes ele surtava, e seu grito de guerra falava: “shinay!” Era um alívio que encontrara, em momentos de aflição, ou não, dependia do sermão!
Eu não estou aqui para falar do Ze maneh, muito pelo contrário, porque ele também naõ quer! A história do conto do contador de contos era algo diferente. Às vezes lhe vazava da mente… idéias insanas e medíocres. Era um dos dons dele: a mistura de palavras, a insensatez em seus pensamentos e a pura ignorância da ausência de conhecimento. E a vida continuou passando por quase um quarto de século, até que em um belo dia, o contador acordou, como outro dia qualquer, só que ele estava diferente,NÃO TANTO QUANTO, porque continuava o mesmo idiota, porém ele tinha algo a mais… algo único, algo inovador.. ele começou a ter a primeira mudança de hábito, a primeira de algo novo que ele não conhecia, ele começou a abrir mão do seu conforto e se atirou no desconhecido. Bom, espero que o contador viaje por longos e ardilosos caminhos e aprecie cada momento dele, porque no fim, não importa o objetivo que você almeja, mas a jornada que você fez até chegar ele.
E o zé maneh? Ahh.. o Zé continua criando rotinas de sabedoria, ensinando o mestre Yoda um novo jeito de guiar os Jedis e tentando ser ele mesmo. Tentando ser o cara mais modafocamente foda MODA do Mundo dele.. tipo o Liam Nelson, o cara que fez o Zeus no fúria de Titãs, fez o filme “busca implacável”, no inglês(Taken), convenha assistir! o cara é muito FODA, MUITO FOOODA MESMO!!Mas é tanto que acima da palavra FODA vem liam Nelson! O zé maneh é o tão Lian Nelson de Lian Nelson!
Não estou fazendo apologia ao Zé, mas o Zé é PHD em Liam Nelson.

Desapegue do apego, se permita!

Imagem

Engraçado como interpretamos o que vem da vida para nós. É algo novo, ficamos impressionados, se for algo antigo, não trás tamanha expectativa, mas mesmo assim a nostalgia nos toma conta e às vezes nos faz sentirmos um sentimento tão bom e tão sereno que achamos ser real. Mas na verdade, como o próprio nome já diz, não deixa de ser uma nostalgia. Não estou aqui para preencher a sua cabeça com idéias e frases pomposas recheadas de palavras bonitas, estou aqui somente para escrever o que me vem em mente. Para quem não sabe o verdadeiro sentido da palavra Nostalgia, aqui vai uma breve explicação que acho apropriada: “Nostalgia é um termo que descreve uma sensação de saudade idealizada, e às vezes irreal, por momentos vividos no passado associada com um desejo sentimental de regresso impulsionado por lembranças de momentos felizes e antigas relações sociais.”

Entenderam? Perceberam o que eu falei anteriormente? A nostalgia é uma felicidade FALSA, viciante e isso é perigoso. Temos que parar de achar que lembranças BOAS vão fazer a gente se sentir melhor, isso pode até acontecer em alguns momentos, mas nunca preencherá aquele espaço vazio que ficou. A única coisa que preenche este espaço é o presente, é uma nova idéia, uma nova oportunidade.

Vejo pessoas presas em seus passados porque eles são territórios “seguros”, mas a idéia de segurança varia em cada referencial. O tema de hoje trata-se do desapego. Li um artigo que uma amiga minha postou em seu facebook, que é chamado de 15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz e por incrível que pareça esse texto fala mais verdades que eu pudesse contar, se serviu pra mim como um “clareamento mental”, creio que mais pessoas gostarão também. Aqui embaixo segue um trecho que achei ideal para conclusão do meu Texto. Apreciem sem moderação!

“14. Desapegue do apego

Este é um conceito que, para a maioria de nós é bem difícil de entender. E eu tenho que confessar que para mim também era – ainda é -, mas não é algo impossível. Você melhora a cada dia com tempo e prática. No momento em que você se desapegar de todas as coisas, (e isso não significa desistir do seu amor por elas – afinal, o amor e o apego não têm nada a ver um com o outro; o apego vem de um lugar de medo, enquanto o amor… bem, o verdadeiro amor é puro, gentil e altruísta, onde há amor não pode haver medo e, por causa disso, o apego e o amor não podem coexistir), você irá se acalmar e se virá a se tornar tolerante, amável e sereno… Você vai alcançar um estado que te permita compreender todas as coisas, sem sequer tentar. Um estado além das palavras…”

Espero que tenham entendido alguma coisa.