Artigo Belicoso

DSC_0837

Prazer, sou o Fantástico, não somente Janoto, como também Frugal, me defino como Bob, o que não se classifica como uma alcunha.

Pois bem, às vezes tento ser ardiloso, porque a vida de um ser humano pode ser comparada com um Besugo em relação ao que temos que viver. Vejo pessoas que admiro que possuem uma índole e alma Incólumes! E por conseguinte tento manter este caminho que não é nada inócuo, de me endireitar perante a realidade. Me sinto como um Petiz afoito e ansioso por conhecimento alimentado pelo mundo. Mas me vejo com um senhor idoso plissado.

Queria saber a fórmula precisa para ser Pândego! Só assim não deixaria meus sentimentos em estado recôndito. Porém, devo lembrar-vos que tenho um fleumático gosto por conhecimento.

Às vezes sou insolente, loquaz e até pacóvio, mas nunca em toda minha vida fui Tênue. Creio que pretendo deixar um legado Perene. Mas nem sei por onde começar, fico por aí a ruar.

Fico rubicundo por não ter uma força de vontade grande. Mas posso lhes dizer que apesar de ter alguns sentimentos recônditos, nunca fui Ignóbil. E sim, marcarei esta caminhada não como um Fugaz, mas como um ser  pernóstico, jamais taciturno, perscrutando a verdade mais profunda que se tem no mundo: a fórmula do amor e da vida.

Uma lição: Não engode pessoas. A vida é são Frugal. Não seja Pérfido e busque pessoas de sumidade Idônea como exemplo.

Anúncios

Mulher que dá na primeira noite… essa é pra casar.

bomsensoPrimeiro eu gostaria de dizer que essa é uma conversa de homem pra homem. Aquela que nosso pai deveria ter tido com a gente. Se você prefere ficar vendo tirinhas engraçadas, vídeos que serão esquecidos em minutos ou fofocas na Internet, pode parar por aqui.

Mesmo que esse texto seja desnecessário para muitos homens, é possível que haja leitores PdH ainda desavisados, então vamos direto ao ponto.

“Puta x mulher pra casar”? Pense de novo.

Desde pequeno, por meio de novelas e filmes de Hollywood, nossa mente foi programada com a seguinte ideia: mulheres são princesas delicadas que devem ser amadas e cuidadas. Qual é o problema com essa frase? Nenhum. Isso tudo é verdade, mas somente metade. Mulheres podem ser princesas, emocionais e delicadas? Sim. Mulheres podem ser safadas, sedentas por sexo e pensam nisso tanto quanto e às vezes mais do que os homens? Sim! Mas infelizmente essa informação não foi programada na nossa mente durante a juventude, resultando agora em uma dinâmica bem curiosa.

Eu sempre achei que quando uma mulher transava na primeira noite ela era uma pessoa sem valor. Quem nunca pensou dessa forma que atire a primeira pedra! Se você ainda pensa assim, continue lendo e provavelmente vai mudar de ideia.

sex1Durante muito tempo a sociedade determinou que as mulheres deveriam ser criaturas santas. Ao contrário dos homens que podiam beber, trepar e se acabar em todo tipo de atividade ilícita, deveriam ficar intocadas, puras, inocentes. Mulheres que transavam antes do casamento eram consideradas “sirigaitas” – e nenhum homem jamais queria saber delas para casar.

Isso tudo fez com que algumas mulheres se tornassem quietas e comportadas em relação ao sexo. Ao mesmo tempo em que isso acontecia, algo muito mais forte e incontrolável rolava por dentro da mente (e da saia) feminina. Ao reprimirmos as mulheres de se expressarem sexualmente, a parte animal e instintiva da mulher criou um desejo enorme e um tesão espantoso por essa coisa tão proibida: sexo.

Essa programação da sociedade funciona tanto para elas, quanto para alguns de nós, homens, que achamos que mulheres deveriam ser puras e imaculadas.

Mulher é um ser humano assim como nós. Parece até bobo falar tamanha obviedade, mas infelizmente ainda é preciso. O fato de você sair para a balada e comer uma garota na mesma noite quer dizer que você é um imprestável, prostituto, sem caráter? Claro que não. Mulheres gostam de sexo da mesma forma que nós, se não mais!

Por que às vezes elas não transam no primeiro encontro

Se juntarmos as peças desse quebra-cabeça, poderemos concluir que muitas mulheres adiam o sexo não porque elas não gostam, são de família ou querem nos deixar excitados, mas pela mera razão de que se transarem de primeira podem criar uma imagem negativa.

De fato, quando transam com uma mulher logo de cara, vários caras realmente pensam que ela não presta (e incrivelmente não aplicam a mesma lógica para si mesmos).

Bom senso: elas adoram e sempre pedem mais.

Espero que vocês estejam acompanhando meu raciocínio porque tudo que eu disse até agora é baseado puramente na lógica e porque a próxima conclusão que podemos tirar disso tudo pode ser arrebatadora.

Muitas mulheres não transam de primeira porque estão presas pelos padrões da sociedade e precisam manter a imagem de garota de família. Portanto, aquelas que transam logo de cara são garotas que não se deixam influenciar pela sociedade. Livres, espontâneas, aventureiras, confiantes, seguras… mulheres pra casar.

Pare por um momento para digerir essa ideia e tudo que ela implica. Pense na quantidade de vezes que você julgou errado uma mulher por causa disso. A boa noticia é que agora você pode mudar isso e pensar direito, com bom senso em vez de senso comum.

Retirado do (PAPO DE HOMEM)

Quem toma café vive mais

<> on January 24, 2011 in Berlin, Germany.
É o que mostra uma pesquisa realizada nos Estados Unidos com pouco mais de 400 mil pessoas. Em 14 anos de estudo, cientistas compararam a taxa de mortalidade de quem bebe café com aqueles que não bebem. Resultado: houve menos mortes entre os participantes que tomavam, pelo menos, 3 xícaras ao dia, do que aqueles que não tomavam café.

Quem bebe menos de 3 xícaras ganha uma vantagem ínfima sobre quem dispensa o café, quase irrelevante. Mas quem toma de 4 a 5 xícaras diariamente tem vantagem sobre todos. É a medida ideal. Homens que bebiam essa quantidade tinham até 12% menos chances de morrer; já as mulheres tinham mais 16% de chances de viver – sempre na comparação com quem não toma nada de café.

Para os mais viciados, que tomam 6 xícaras ou mais ao dia, as chances de morrer diminuem 10% neles e 15% nelas. Quem bebe de 2 a 3 xícaras, pode viver até 10%, se for homem, e 5%, se for mulher.

Apesar da associação positiva entre sobrevivência e consumo de café, os pesquisadores não garantem que o mérito de viver mais seja exclusivamente da bebida. “Não é possível concluir que essa relação entre consumo de café e mortalidade reflete causa e efeito”, diz Neal Freedman, chefe da pesquisa. “Mas podemos especular sobre os benefícios do café na saúde. Este estudo mostrou uma relação inversa entre o consumo da bebida e as mortes”. A pesquisa considerou todos os motivos de óbitos: desde derrames até infecções e diabetes.

Então, vai um cafezinho?

(Via Telegraph)

Crédito da foto: gettyimages

O direito à tristeza

trizteza

Por Contardo Calligaris

As crianças têm dois deveres. Um, salutar, é o dever de crescer e parar de ser crianças. O outro, mais complicado, é o de ser felizes, ou melhor, de encenar a felicidade para os adultos. Esses dois deveres são um pouco contraditórios, pois, crescendo e saindo da infância, a gente descobre, por exemplo, que os picolés não são de graça. Portanto, torna-se mais difícil saltitar sorrindo pelos parques à espera de que a máquina fotográfica do papai imortalize o momento. Em suma, se obedeço ao dever de crescer, desobedeço ao dever de ser feliz.A descoberta dessa contradição pode levar uma criança a desistir de crescer. E pode fazer a tristeza (às vezes o desespero) de outra criança, incomodada pela tarefa de ser, para a família inteira, a representante da felicidade que os adultos perderam (por serem adultos, porque a vida é dura, porque doem as costas, porque o casamento é tenso, porque não sabemos direito o que desejamos).

A ideia da infância como um tempo específico, bem distinto da vida adulta, sem as atrapalhações dos desejos sexuais, sem os apertos da necessidade de ganhar a vida, é recente. Tem pouco mais de 200 anos. Idealizar a infância como tempo feliz é uma peça central do sentimento e da ideologia da modernidade.É crucial lembrar-se disso na hora em que somos convidados a espreitar índices e sinais de depressão nas nossas crianças.

O convite é irresistível, pois a criança deprimida contraria nossa vontade de vê-la feliz. Um menino ou uma menina tristes nos privam de um espetáculo ao qual achamos que temos direito: o espetáculo da felicidade à qual aspiramos, da qual somos frustrados e que sobra para as crianças como uma tarefa. “Meu filho, minha filha, seja feliz por mim.”É só escutar os adultos falando de suas crianças tristes para constatar que a vida da criança é sistematicamente desconhecida por aqueles que parecem se preocupar com a felicidade do rebento. “Como pode, com tudo que fazemos e fizemos por ela?” ou “Como pode, ele que não tem preocupação nenhuma, ele que é criança?”. A criança triste é uma espécie de desertor; abandonou seu lugar na peça da vida dos adultos, tirou sua fantasia de palhaço.Conselho aos adultos (pais, terapeutas etc.): quando uma criança parece estar deprimida, o mais urgente não é reconhecer os “sinais” de uma doença e inventar jeitos de lhe devolver uma caricatura de sorriso. O mais urgente, para seu bem, é reconhecer que uma criança tem o DIREITO de estar triste, porque ela não é apenas um boneco cuja euforia deve nos consolar das perdas e danos de nossa existência; ela tem vida própria.Mais uma observação para evitar a precipitação. Aparentemente, nas últimas décadas, a depressão se tornou uma doença muito comum. Será que somos mais tristes que nossos pais e antepassados próximos? Acredito que não. As más línguas dizem que a depressão foi promovida como doença pelas indústrias farmacêuticas, quando encontraram um remédio que podiam comercializar para “curá-la”. Mas isso seria o de menos. É mais importante notar que a depressão se tornou uma doença tão relevante (pelo número de doentes e pela gravidade do sofrimento) porque ela é um pecado contra o espírito do tempo. Quem se deprime não pega peixes e ainda menos sobe no bonde andando.Será que vamos conseguir transformar também a tristeza infantil num pecado?Claro que sim. Aliás, amanhã, quando seu filho voltar da escola, além de verificar se ele não está com frieiras, veja também se ele não pegou uma deprê. E, se for o caso, dê um castigo, pois, afinal, como é que ele ousa fazer cara feia quando acabamos de lhe comprar um gameboy? Ora! E, se o castigo não bastar, pílulas e terapia nele. Qualquer coisa para evitar de admitir que a infância não é nenhum paraíso.

Texto via Laboratório de Sensibilidade

A procura da Felicidade.

fedddRecapitulando:

1. Fazer comparações pode prejudicar sua felicidade.

2. Muitas pessoas acham que a felicidade é ser mais rico ou mais importante.

3. Muitas pessoas só imaginam a felicidade no futuro.

4. Felicidade pode ser a liberdade de amar mais de uma mulher ao mesmo tempo.

5. Ás vezes a felicidade é não saber toda a história.

6. Evitar a tristeza não é o caminho para a felicidade.

7. Sua companhia lhe leva sempre:
A) pra cima, ou
B) pra baixo?

8. Felicidade é seguir sua vocação.

9. Felicidade é se sentir amado por ser você mesmo.

10. Ensopado de Batata Doce!
 
11. O medo impede a felicidade.

12. Felicidade é se sentir inteiramente vivo.

13. Felicidade é saber como comemorar.

14. Saber ouvir é saber amar.

15. Nostalgia não é mais como era antigamente.

16. Sempre pegue a caneta dos amigos.