Ninguém preocupa com você

Ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.

usain

Abraham Lincoln, no século XIX, disse: “Ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história”. Por mais antigas que sejam essas palavras, não podemos negar que, sob o prisma dos nossos dias atuais, elas continuam a ser atemporais. Isto é, independente da época, da era, da situação, da pessoa, essa “dica” valiosa de Abraham Lincoln serve para todos os momentos de nossa vida.

Explicando: muitas vezes, diante das situações adversas e difíceis da vida, somos tomados por todo tipo de pensamento negativo, aumentando o problema na sua proporção e dimensão e, ainda, deixando que a tristeza e um sentimento de melancolia se instalem em nossos dias. É como aquele dito popular traz: “fazer tempestade em copo d’água”.

Tal maneira de encarar as situações acaba por se tornar um hábito em nossas vidas, uma vez que o ser humano vai construindo hábitos de acordo com os tipos de pensamentos que estimula. Um hábito, principalmente os mais negativos, possui a surpreendente tendência de se instalar de forma muito rápida. E, para mudar um hábito já adquirido, ainda mais quando exige disciplina de nossa parte, sabemos que não é tão fácil quanto parece. Portanto, se temos o hábito de pensar negativamente acerca das situações e temos dificuldade de sair dessas circunstâncias (criadas por nós mesmos), podemos desenvolver tristeza profunda – como depressão – e falta de motivação para sair dessa forma viciosa de encarar a vida.

Um ciclo negativo acaba influenciando enormemente a forma como agimos e reagimos dentro de qualquer situação.

Vício, aliás, é como podemos chamar essa tendência e, até, mania de se apegar à negatividade e aos problemas. Com a repetitividade de encarar as situações de forma negativa, criando problemas muito maiores do que realmente são, esse ciclo negativo acaba influenciando enormemente a forma como agimos e reagimos dentro de qualquer situação. Então, passamos a automaticamente nos fazer vítimas dos problemas, criando um apego e um costume em agir dessa maneira.

A negatividade nos pensamentos possui um efeito cumulativo, tanto nos pensamentos em si quanto nas maneiras de agir, nas atitudes, uma vez que essa tendência viciosa de encarar as situações e a própria vida institui uma estrutura mental que se especializa nisso. E os resultados não podem ser positivos: ao criar essa “lente” na maneira de encarar a realidade, qualquer situação parecerá negativa e impossível, gerando preocupações em demasia e sentimento de incapacidade, por mais simples que uma situação possa ser, transformando a vida em lástimas e tristezas. E aí, qualquer frase será precedida de “não”, já anulando qualquer efeito positivo que possa haver.

Retomando a frase de Abraham Lincoln do início, o que ele quis dizer é que não devemos nos abater diante dos problemas. Momentos difíceis e situações adversas existem sim, afinal, eles existem para que possamos aprender, evoluir, amadurecer e dar valor quando as coisas realmente boas e valiosas acontecem. Não é nos tornando vítimas diante dos problemas que as coisas vão mudar. Aliás, o sofrer mais ou menos somente serve para o nosso crescimento pessoal e não para competir ou chamar a atenção. Sim, pois é muito comum vermos pessoas que se apegam aos problemas e às suas lamentações apenas para chamar a atenção de quem está na volta, parecendo “coitadinho(a)” para despertar pena nas outras pessoas. Sentimento esse que não é nada nobre.

O segredo está em mudar a perspectiva com que uma situação deve ser encarada.

“…se tornar autor da própria história” é encarar os problemas de frente, tendo a consciência de que somente a sua própria atitude e a sua própria forma de conceber a situação problemática é que irá transformá-la em algo penoso e sofrido ou apenas em mais um obstáculo a ser superado. Nesses casos, o “segredo do sucesso” está em mudar a perspectiva com que uma situação deve ser encarada. O seu dia será determinado desde o momento em que você abre os olhos pela manhã, de acordo com os seus pensamentos e suas atitudes.

Já parou para pensar que o poder está todo nas suas mãos? Que você tem a sua própria responsabilidade em criar constantemente a sua realidade? A sua caminhada somente pode ser trilhada por você mesmo e por mais ninguém. Por isso, de nada adiante se lamentar e criar todo um cenário de perturbações sendo que a única maneira de transformar a sua realidade é a partir da sua própria atitude em encarar as questões da vida.

Aproveitando mais um pouco o poder das frases, diz um provérbio inglês que “mar calmo nunca fez um marinheiro hábil”. Ou seja, os problemas e os momentos adversos nos ajudam a crescer e a amadurecer, deixando um grande “rastro” de aprendizados quando a tormenta passa. Portanto, questionar-se frente a esses momentos é um bom começo: “como eu posso passar por esse problema da melhor maneira possível?”; “vai adiantar ou resolver o problema se eu ficar criando ‘pré-ocupações’ antecipadamente?”; “que aprendizado para a minha vida posso tirar dessa adversidade que estou enfrentando?”; e, um questionamento muito importante: “que tipo de atitudes, na forma de agir e/ou pensar, eu tomei que me levaram a passar por esses problemas?”.

Os pensamentos possuem poderes: o que você pensa, você cria. O que você sente, você atrai. O que você acredita, torna-se realidade.

Esse último questionamento é a chave principal para abrir uma das portas da sua vida que leva a um desses caminhos somente: o de se tornar vítima e se lamentar, virando escravo dos próprios problemas ou o de assumir a responsabilidade pelo que acontece e decidir qual a melhor maneira de encarar o que tiver que ser enfrentado na sua vida. Já ouviu falar que os pensamentos possuem poderes? Que você é capaz de conseguir o que quiser, desde que mude a frequência dos seus pensamentos e passe a acreditar neles?

Não é preciso ser um Monge Budista para saber que a frase de Buda está correta e representa, sim, a nossa realidade: “A lei da mente é implacável: o que você pensa, você cria. O que você sente, você atrai. O que você acredita, torna-se realidade”. E complementa: “A vida é um eco. Se você não está gostando do que está ouvindo, observe o que está emitindo”. Novamente, não é preciso ser um Monge Budista para acreditar nessas afirmações, que a primeira vista podem parecer “espirituais” demais.

Se é preciso “ver para crer”, experimente mudar, então, a perspectiva com que você encara a sua vida e as situações que nela acontecem daqui pra frente. Experimente ser grato pelo que acontece e extrair o máximo de aprendizado possível, indicando o caminho para seguir e mudar a realidade, fazendo com que “da próxima vez” as coisas sejam diferentes.

Experimente e depois espalhe essa experiência para mais pessoas.

Mude sua mente!

mude sua mentePrimeiro você tem que abandonar as crenças de que todos já temos um destino traçado. Somos os criadores do nosso próprio destino, os mestres da nossa alma e os capitães do barco da nossa vida.

Abandone o papel de vítima e passe a agir por sua própria responsabilidade. Tudo de bom e de ruim que acontecer na sua vida é consequência das suas ações.

Quando você assumir essa responsabilidade não terá mais a quem culpar pelo que acontece na sua vida.

É importante destacar aqui que isso não é autoajuda, embora eu acredite que autoajuda é uma coisa boa, mesmo as pessoas sendo tão críticas quanto a essa maneira de influenciar as pessoas positivamente.

Tudo isso remete a mudar a sua percepção sobre realizar seus sonhos. Nenhum sonho é impossível e nada é ambicioso demais.

Algumas pessoas querem realizar grandes sonhos únicos, outros querem passar por experiências que outros já passaram. Todos dependem apenas de si mesmos para realizá-los, basta aprender a formar os hábitos que irão mudar a sua vida a partir de agora.

Pergunte a si mesmo o que é prioridade na sua vida e reprograme sua mente para sempre estar focada apenas no que é importante.

Uma maneira inteligente de aprender a atingir objetivos de vida é saber como pensam as pessoas que criaram suas próprias vidas.

Com a sua mente devidamente alterada para aceitar os grandes desafios que você vai querer vencer na sua vida, a partir de agora você estará pronto para executar as ações e formar os hábitos necessários para a realização dos seus objetivos.

“O pensamento é a fonte original de toda a riqueza, todo o sucesso, todo o ganho material, todas as grandes descobertas, invenções e de todas as realizações.” – Claude M. Bristol

Retirado do Hábitos Milionários.

10 Mandamentos para ser Auto Confiante! (parte 5)

 

5. DEIXE DE COMPORTAR-SE COMO VÍTIMA

5. DEIXE DE COMPORTAR-SE COMO VÍTIMA

Quer seja culpabilizando-se ou culpando os outros pela sua baixa auto confiança, você está a desempenhar um papel de vítima. Por vezes culpabilizamo-nos para evitar que os outros o façam por nós. Esta é uma atitude negativa face ao problema que o afeta. Se pretende tornar-se numa pessoa mais confiante, assuma de uma vez por todas a dificuldade que tem. Importa para isso perceber as competências que precisa trabalhar no sentido de munir-se de estratégias que possam ajudá-lo a enfrentar as situações temidas. A baixa auto confiança reveste-se de alguns medos disfarçados, apoiados por uma ausência de aprendizagens de vários níveis.

Repare que referi ausência de aprendizagens. E como já verificámos, você pode aprender a ser mais confiante. Mas para aprender a ser confiante, tem de dar um passo importante que é abandonar a mentalidade de vítima.