Escolha sabiamente.

ter.jpgA tormenta sem fim, varre, destrói e modela as escolhas que você faz no caminho da vida.

 

Anúncios

Experteza não se compra.

texto2Existem dois tipos de pessoas quando você está dentro do poço:

  • Aquelas que jogam mais terra e terminam de te enterrar
  • Aquelas que dão a mão, pra você sair do buraco.

E em uma inconsistência quase linear dos fatos, você convive com todos estes tipos de pessoas diariamente. E o tempo, é algo extremamente importante para que você se torne experto. A experteza é algo acumulativo, às vezes o processo é doloroso, mas o resultado é sempre gratificante.

Veja bem, o mundo existe vários maus que acabam com a vida humana. Em vários setores, etnias, culturas, todas possuem um mal específico que influencia e altera a personalidade de pessoas fracas. É o tal do dinheiro.

Quando você é pobre, você vive um lado limitativo de escolhas que por conseguinte lhe permite ter uma visão mais simples da vida. Quando você é rico, essa visão é amplamente alterada, o que de fato, lhe deixa com certos pontos cegos sobre aspectos da vida. Veja bem, é como se fosse  um caminho de conhecimento. Uma escada em que você pode subir sozinho com suas 20 sacolas, ou você tem alguém para levá-las para você.

Nos dois exemplos, o conhecimento é alcançado, por um lado você se permite a ver e entender o que será melhor para a situação presente, você tem que pensar, você precisa criar um plano e/ou uma ação para executar isso. Você adquire experiência. No segundo momento, a ideia é a mesma, mas você não se preocupa com isso, você usa sua mente para outros fins, enquanto alguém está fazendo isso pra você, você pode estar pensando em algo para melhorar isso, ou intensificar isso, a grosso modo, você também ganhará experiência, conhecimento.

Porém, o dinheiro lhe priva de certos privilégios, a vida é algo único, amizades também, muitas pessoas perdem amigos, perdem a vida, perdem tudo por causa do dinheiro. O dinheiro lhe compra coisas materiais, mas não lhe dá confiança ou carinho.

Conheço várias pessoas que se perderam por causa do dinheiro, e outras que se acharam também. Conheço alguns que jogaram terra no buraco quando você mais precisava. A partir do momento que a pessoa adquire o dito cujo, ela se revela. É realmente lamentável ver que o mundo está cheio de pessoas fracas. A vida um dia cobra. E o preço é extremamente alto. Não há dinheiro algum que pague isso.

Portanto saiba tratar bem as pessoas independente da sua cultura ou raça ou qualquer outro argumento que for diferente da sua realidade. Porque o dinheiro acaba, mas a sua mente não.

 

“A Grande Sabotagem Reptiliana”

ee.jpg

Ao contrário do que nos explica o autor inglês David Icke no trecho abaixo, Vitzo, de Urano, nos informa e afirma que os Anunnakis não eram reptilianos.Ao contrário, eles se esconderam até que os gigantes tivessem ido embora. Veja, antes, este trecho do livro de Icke, “O Maior Segredo: 


“Eu não penso que os Anunnaki dos Tabletes Sumérios e os Marcianos brancos propostos no cenário de Brian Desborough são os mesmos povos, apesar de poder existir uma conexão genética entre eles. Juntando a massa de evidências, visões, pesquisa e opiniões, que eu tenho lido ou escutado quase todos os dias nesses últimos anos, eu sinto que os Anunnaki são uma raça de uma espécie genética reptiliana. Na pesquisa ufológica eles tornaram-se conhecidos como reptilianos. Nem eu estou sozinho com esta visão. Pessoalmente eu tenho estado espantado por quantas pessoas hoje estão abertas a essas possibilidades e, certamente, estão chegando às mesmas conclusões através de suas próprias pesquisas. Entre esses incluem-se muitos que iriam gargalhar dessa idéia há pouco tempo atrás. O Dr. Arthur David Horn, um ex-professor de antropologia biológica da Universidade Estadual do Colorado em Fort Collins, inicialmente acreditava enfaticamente na versão Darwinista da evolução humana, o desenvolvimento lento da espécie humana via princípio da sobrevivência do mais adaptado. Puramente sob o peso de evidência e de sua própria experiência, ele está agora convencido que a humanidade foi semeada por extraterrestres e que uma raça reptiliana controlou o planeta por milhares de anos e continua a fazer isso hoje em dia.” 
 
O parecer de Vitzo em ” 
A Grande Sabotagem Reptiliana“, nos leva mais em contato com as pesquisas de Zecharia Sitchin, falecido recentemente. Ele acreditava que os  Anunnaki criaram o homo sapiens, cruzando seus genes com os do Homo erectus, para usá-lo como escravo para a extração de matérias-primas,como o ouro, que eram necessárias para proteger a atmosfera de seu próprio planeta Nibiru.Sitchin_olmecsGiantHead

Leia agora este pequeno trecho de “A Grande Sabotagem Reptiliana”

“Os seres chamados de Anunnakis por vocês não são bem o que se considera como reptilianos. Os Anunakis são seres da mesma galáxia que vocês habitam. Eles trouxeram outros conhecimentos para os humanos que aqui habitavam. Eram deuses, mas não reptilianos. Os reptilianos estavam aqui muito antes deles chegarem, mas ocultaram seu conhecimento até que a grande leva de deuses fosse embora novamente. Os Anunnakis são os responsáveis pela raça que originou o poderio egípcio naquela região. Foram eles que implantaram os costumes entre homens e deuses em uma região onde a carne não era valorizada e sim o espírito, a alma que transcendia os tempos e por isso, os humanos embalsamavam seus mentores sacerdotais para que nunca morressem na Terra e nos céus. Os Anunnakis eram gigantes de 30 a 40 metros de altura e o povo réptil “esqueceu-se convenientemente” de juntar-se para ofuscar a presença alienígena que trouxera progresso para toda aquela região. Eles esperaram que fossem embora para depois iniciar sua busca pelo ouro descoberto. O ouro do conhecimento que tornou a civilização egípcia tão poderosa em tão pouco tempo. A civilização egípcia foi atacada posteriormente pelo estado reptiliano, quando se envolveram sutilmente em suas tropas e entre seus faraós. O mal novamente foi contagiando as estruturas egípcias, traduzindo o que de pior eles conheciam para atrasar novamente a evolução humana. Fogo, morte e destruição estagnaram e destruíram a civilização que durante mais de mil anos reinou sobre a Terra reptiliana. O que podemos dizer depois disso, é que eles, os reptilianos, cresceram novamente, porque seus sistemas de destruição expandiam-se rapidamente por todo Oriente e África, sem que fossem notados pelos mais desatentos. Outros impérios viriam depois dali, mas eles já sabiam como lidar e corromper a raça humana.” 

O Teatro Mágico

tt.jpg

Veio de manha molhar os pés na primeira onda
Abriu os braços devagar… e se entregou ao vento
O sol veio avisar… que de noite ele seria a lua……
Aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo
Deitada diante do mar
Que apaixonado entregava as conchas mais belas
Tesouros de barcos e velas
Que o tempo não deixou voltar…
Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar
Nenhum medo que possa enfrentar
Nem segredo que possa contar…

Os opostos se distraem
Os dispostos se atraem

Brincadeira

dfas

Começou como uma brincadeira. Telefonou para um conhecido e disse:
– Eu sei de tudo.

Depois de um silêncio, o outro disse:

– Como é que você soube?

– Não interessa. Sei de tudo.

– Me faz um favor. Não espalha.

– Vou pensar.

– Por amor de Deus.

– Está bem. Mas olhe lá, hein?

Descobriu que tinha poder sobre as pessoas.

– Sei de tudo.

– Co- como?

– Sei de tudo.

– Tudo o quê?

– Você sabe.

– Mas é impossível. Como é que você descobriu?

A reação das pessoas variava. Algumas perguntavam em seguida:

– Alguém mais sabe?

Outras se tornavam agressivas:

– Está bem, você sabe. E daí?

– Daí nada. Só queria que você soubesse que eu sei.

– Se você contar para alguém, eu…

– Depende de você.

– De mim, como?

– Se você andar na linha, eu não conto.

– Certo.

 

Uma vez, parecia ter encontrado um inocente.

– Eu sei de tudo.

– Tudo o quê?

– Você sabe.

– Não sei. O que é que você sabe?

– Não se faz de inocente.

– Mas eu realmente não sei.

– Vem com essa.

– Você não sabe de nada.

– Ah, quer dizer que existe alguma coisa pra saber, mas eu é que não sei o que é?

– Não existe nada.

– Olha que eu vou espalhar…

– Pode espalhar que é mentira.

– Como é que você sabe o que eu vou espalhar?

– Qualquer coisa que você espalhar será mentira.

– Está bem. Vou espalhar.

 

Mas dali a pouco veio um telefonema.

– Escute. Estive pensando melhor. Não espalha nada sobre nada daquilo.

– Aquilo o quê?

– Você sabe.

 

Passou a ser temido e respeitado. Volta e meia alguém se aproximava dele e sussurrava:

– Você contou para alguém?

– Ainda não.

– Puxa. Obrigado.

 

Com o tempo, ganhou uma reputação. Era de confiança. Um dia, foi procurado por um amigo com uma oferta de emprego. O salário era enorme.

– Por que eu? – quis saber.

– A posição é de muita responsabilidade – disse o amigo. – Recomendei você.

– Por quê?

– Pela sua descrição.

 

Subiu na vida. Dele se dizia que sabia tudo sobre todos, mas nunca abria a boca para falar de ninguém. Além de bem-informado, um gentleman. Até que recebeu um telefonema. Uma voz misteriosa que disse:

– Sei de tudo.

– Co- como?

– Sei de tudo.

– Tudo o quê?

– Você sabe.

Resolveu desaparecer. Mudou-se de cidade. Os amigos estranharam o seu desaparecimento repentino. Investigara. O que ele estaria tramando? Finalmente foi descoberto numa praia remota. Os vizinhos contam que a voz que uma noite vieram muitos carros e cercaram a casa. Várias pessoas entraram na casa. Ouviram-se gritos. Os vizinhos contam que mais se ouvia era a dele, gritando:

– Era brincadeira! Era brincadeira!

Foi descoberto de manhã, assassinado. O crime nunca foi desvendado. Mas as pessoas que o conheciam não têm dúvidas sobre o motivo.

Sabia demais.

 

(LUIS FERNANDO VERÍSSIMO)

Não exalte

tripMe disseram que não sou Homem de Palavra, que traí meus amigos e que supostamente eu distanciei quem me apoiava. Realmente algumas dessas palavras são verdades ao olhos de outrém como também são falácias em certos momentos. A verdade é que ninguém entenderá as ações de uma pessoa se não convivem com ela. O mundo sempre julga, pune, humilha e até crucifica sem conhecer ou saber o que anda acontecendo.
Como está escrito na bíblia “Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado” – Lucas 18:14b.
Então eu tenho algumas palavras pra vocês: Não esquecem quem vocês são, e lembre sempre de quem estava ao seu lado nas horas ruins ou em momentos difíceis. Porque eu lembrarei desse momento quando estiver em bons momentos também.

Veja bem, a vida é um ciclo de bate e volta, o que você deseja, realmente acontece, se for bom ou ruim, e o que menospreza, também acontece, de um jeito bom ou ruim.
Marquem minhas palavras, vocês julgam demais, mas não são Deuses e nunca serão mais que meros seres humanos.

Porque não importa o seu sofrimento, o mundo só deseja ver o resultado. Ninguém preocupa se você está passando necessidades ou teve um dia ruim, mas todo mundo está lá pra parabenizar o seu sucesso ou criticar a sua derrota no fim.

A colheita está próxima, portanto reavaliem suas ações e pratiquem o bem, porque o plantio é opcional, mas a colheita meu colega, é obrigatória.

Sem julgamentos, sem inveja ou soberba, apenas lhes desejo boas escolhas na vida e um coração puro.

“Não amemos de palavras nem de língua, mas por ações e em verdade.”

Aprendi e Decidi…

221

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar…
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrenta-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tenha sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde, agora, me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não e chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo que posso ter, é ter o direito de chamar a alguém de “Amigo”.
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, “o amor e uma filosofia de vida”.
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser a minha própria tênue luz deste presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não vai iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas…
Naquele dia, aprendi que os sonhos são somente para fazer-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar…
Agora simplesmente durmo para sonhar.