10 regras para ser Humano


I – Você receberá um corpo. Pode gostar dele ou odiá-lo, mas ele será seu durante essa rodada.

II – Você está matriculado numa escola informal, de período integral, chamada vida. A cada dia, nessa escola, você terá a oportunidade de aprender lições. Você poderá gostar das lições ou considerá-las irrelevantes ou estúpidas.

III – Não existem erros, apenas lições. O crescimento é um processo de tentativa e erro: experimentação. As experiências que não dão certo fazem parte do processo, assim como as bem sucedidas.

IV – Cada lição será repetida até que seja aprendida. Cada lição será apresentada a você de diversas maneiras, até que a tenha compreendido. Quando isso ocorrer, você poderá passar para a seguinte. O aprendizado nunca termina.

V – Não existe nenhuma parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, há lições para aprender.

VI – “Lá” não é melhor do que “aqui”. Quando o seu “lá” se tornar em “aqui”, você simplesmente entenderá que o melhor é viver o “aqui e o agora”.

VII – Os outros são apenas seus espelhos. Você não pode amar ou detestar algo em outra pessoa, a menos que isso reflita algo que você ama ou detesta em si mesmo.

VIII – O que fizer de sua vida é responsabilidade sua. Você tem todos os recursos de que necessita. O que fará com eles é de sua responsabilidade. A escolha é sua.

IX – As respostas estão dentro de você. Tudo o que tem a fazer é meditar, analisar, ouvir e acreditar.

X – Você se esquecerá de tudo isto!

(por Twyla Nitsch – Anciã da Tribo Seneca, fundadora e líder do Clã dos Lobos)

Anúncios

Virtude e escolhas

oportunidadAs pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. (Clarice Lispector)

Aprendi que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu. (William Shakespeare)

Quando, na vida, uma porta se fecha para nós, há sempre outra que nos abre. Em geral, porém, olhamos com tanto pesar e ressentimento para a porta fechada, que não nos apercebemos da outra que se abriu. (O S Marden)