Como sobreviver à queda de um avião sem paraquedas

paraCair de um avião ou ser jogado para fora dele é uma situação bastante improvável, a não ser que estejamos falando de romances baratos ou filmes de ação. Esse destino está tão próximo de acontecer quanto ficarmos perdidos no deserto do Saara, à deriva no mar, ou sermos mordidos por uma criatura mortal exótica.

É difícil imaginar o que faríamos se estivéssemos em situações tão ruins, mas se prevenir nunca é demais, certo? Afinal, pode acontecer.

Imagine que você está caindo pelo ar, a 10 mil metros do chão e não tem nada além de inteligência, coragem e um pouco de sorte. Crendo que o frio e a falta de oxigênio não te matem antes, aqui estão quatro passos simples para tentar suavizar o seu destino depois de ser expulso de um avião:

Passo um: Não entre em pânico. Mesmo que você desmaie por falta de oxigênio, você provavelmente retomará sua consciência a tempo de tentar fazer alguma coisa.

Passo dois: Deixe sua postura parecida com a de um paraquedista voando no estilo “esquilo voador”. Para isso, faça com que seus braços e pernas formem um X, mantendo o peito para baixo e arqueando as costas e o pescoço.

Passo três: Escolha um alvo. Evite superfícies duras, e não se deixe enganar pela água: ela o golpeará tão fortemente como se você estivesse indo em encontro a uma calçada. Responda ao canto das sereias do mar e só lhe restará imaginar quanto tempo o seu corpo quebrado sobreviverá antes de se afogar.

Palheiros, arbustos, montes de neve e pântanos são a melhor aposta para uma possível sobrevivência e são mais “seguras” do que gramados ou asfalto. Árvores e vidros podem empalar você, mas eles já salvaram paraquedistas, então não custa tentar. Se não der para evitar uma área povoada, o melhor alvo pode ser um telhado.

Qualquer superfície que absorva o impacto da queda pode fazer a diferença, evitando algumas rupturas de órgãos ou traumas generalizados.

Passo quatro: Escolha a posição antes do impacto. Cair de cabeça é certamente uma má escolha. Cair com o corpo plano irá distribuir a força do impacto através do seu corpo, mas, por outro lado, a Agência Federal de Aviação dos EUA recomenda pousar com uma paraquedista, mantendo os pés juntos e os calcanhares, joelhos e quadris flexionados.

Se você cair na água, deve escolher mergulhar primeiramente a cabeça ou os pés. Independente da sua escolha, mantenha o corpo em linha reta como uma vareta. Se for mergulhar de cabeça mantenha os braços ao lado dela para protegê-la. Se for mergulhar em pé, lembre-se de apertar a sua… bem, seus músculos glúteos. Quanto menos se falar sobre o porquê, melhor.

Retirado do [Life’sLittleMysteries]

Anúncios

Sentido da Vida – O verso do inverso.

Criança-lindaSinta o dia como o gosto de uma laranja, ácida e doce!

Desfrute de cada manhã como se fosse aquela torta de morango, Gostosa!

Seja feliz na mesma proporção que você deseja felicidade, sincera!

Viva como se não pudesse viver outro dia, aproveite o momento!

Sinta as pessoas como se fôssemos fermentos de uma massa de pão, Seja o universo!

Seja você sempre, não importa a opinião alheia, procure dentro de você o prazer de viver e encontrará a felicidade suprema.

A vida não é fácil, então lute sempre! E mesmo que tudo pareça não progredir pro seu lado, persista! Se tudo ficar na merda, faça cara de peixinho… isso mesmo! Faz cara de peixinho pros problemas(é a maneira de ligar um foda-se Consciente). Afinal, você não veio pra esse mundo pra pensar em problemas, você veio pra resolvê-los.

Porque você não precisa de ninguém pra ser feliz, a felicidade não é uma escolha, é um estado de espírito.

Floresça em seus sentimentos, sinta sua liberdade suscitando em suas veias, aprenda o valor de um abraço, saboreie vagarosamente um doce beijo, escute a lição de um bocejo e ame a vida, principalmente a sua vida e você perceberá que indecisão não existe e que o verdadeiro sentido de estar aqui é somente para.. para… (essa parte você já sabe…)

Recíproco

eles“Eu me arrastei como tenho feito toda a minha vida…indo atrás das pessoas que me interessam. Pois os únicos que me interessam são os loucos. Os que estão loucos para viver, loucos para falar. Que querem tudo ao mesmo tempo. Aqueles que nunca bocejam e jamais falam obviedades. Mas queimam, queimam, queimam como fogos de artifício no meio da noite. “