Àquele dia sem álcool.

surreral3Não podemos vivenciar o passado sem perder o sentido. É preciso muito para ter quase nada. O que não cega, te deixa faminto. Eu bato na parede, e transmuto a dor. Sou a Diabete, o pão de queijo, o quadrado que não é seu!
Historicamente o wall é parede, mas Wallace é nome com jogada de poker.

Blood in hell!!! Blood in hell!!! Blood in hell!!! Blood in hell!!!
Saúde! Descafeinado por favor!suerreal2

Eu viro, vodka sabia das escolhas secas que fez. Penso, logo eu falo. A síndrome do tempo que vira time e time que vira tempo. Sou a ponte quadrada, o degrau mal feito, mas é tudo concreto. A real, a idade, faz parte do humano, da idade.
Se os peers não tiver cheio, não tem como baixar. É fato.

É eles! É eles! É eles!

Partiu. (Meia face, cabeçudo sorrindo).

Quando acordo depois de não ter dormido, vejo que preciso de misturar coisas mágicas, como li uma vez: “Uma bomba atômica de bem-querer. Juntei todos os ingredientes necessários, tudo o que havia de bom no mundo. Exceto coelhos. Coelhos resultariam em Meninas Super Poderosas. Não era essa a ideia.” ou talvez seria, depende do universo e do sabor do café! ahh… o café!!!

surreal
Olhar os lírios do campo, que crescem e florescem sem incentivos fiscais. Tirar deduções, tomar nota e engolir o papel.(L. F Veríssimo)

E assim percebo que todos estamos sós, vagando consigo mesmo, namorando a solidão enquanto flertamos com a idéias surreais. E assim, mais uma peça se encaixa nesse mosaico unânime que é a vida.

Bola pra trás, saco pra frente, é a ordem das coisas, porque na desordem se faz democracia.

Anúncios

A vida.

viddaa” A forma como vivemos e nossos valores são a expressão da sociedade no qual vivemos. E a gente se agarra a isso. Não digo isso por ser Presidente do Uruguai hoje. Pensei muito sobre isso. Passei mais de dez anos na solitária. Tive tempo… em 7 anos nem sequer ler um livro. Tive muito tempo para pensar e descobri o seguinte. Ou você é feliz com pouco, com pouca bagagem, pois a felicidade está em você, ou não consegue nada. Isso não é a apologia da pobreza, mas da sobriedade. Só que inventamos uma sociedade de consumo, e a economia tem de crescer ou acontece uma tragédia. Inventamos uma montanha de consumos supérfluos. Compra-se e descarta-se. Mas o que se gasta é tempo de vida. Quando compro algo, ou você compra, não pagamos com dinheiro, pagamos com o tempo de vida que tivemos de gastar para ter aquele dinheiro. Mas tem um detalhe:Tudo se compra, menos a vida. A vida se gasta. E é lamentável desperdiçar a vida para perder a liberdade. “
(José Mujica)

Eu tenho duas armas na minha cabeça: uma do bandido e outra do Estado

(Escrito por: Thiago Mourão)arma

João Alex Schomaker, 24 e Ricardo Santos, 24 vão virar nomes emblemáticos para a juventude brasileira. Ambos mortos a tiros: um de bandido, outro de polícia. O primeiro, formando em biologia. O segundo, preparando-se para o circuito mundial de surfe.

Os nomes dos dois somados resultam em 82 mortes diárias, sendo destas 77% jovens negros, de acordo com dados de 2014 da Anistia Internacional.

Cada vez que o nome de um ou outro é escrito, a juventude brasileira sangra. Meus dedos, Thiago Mourão, aspirante a um futuro de respeito, sangram na escrita deste texto. Eu tenho duas armas na minha cabeça: uma do bandido e outra do Estado. E eu tenho sérias dúvidas sobre qual é mais perigosa e irresponsável.

As mortes de ambos, num espaço de dez dias, acende a luz vermelha para o estado de abandono que se encontra a juventude deste país. É preciso que garotos em evidência social sejam brutalmente assassinados para que a sociedade se volte ao (des)tratamento dispensado pelos governantes.

Este é o chamado para que nós ocupemos nosso papel e comecemos a reagir contra os descasos das autoridades de todas as instâncias e instituições desta República.

É hora de Joãos e Alexs do Brasil, que têm o privilégio de exercerem seus talentos (o que deveria ser um direito de todos mas enfim…), reagirem, antes que seja tarde, e colocarem nossas pautas, tais como: revisão do sistema de repressão e guerra às drogras, reestruturação do ensino, reestruturação do transporte público urbano com revisão das relações entre empresas e Estado, reformulação da polícia militar brasileira, política econômica eficiente e sem maquiagem e etc, nas ruas e nos debates.

Podemos ir às ruas literalmente, relembrando junho de 2013, podemos ir às redes sociais abrir debates, ocupar os espaços livres dos veículos de comunicação, ocupar também as caixas de e-mail dos parlamentares e executivos com cobranças, sugestões e acompanhamento. Vamos bater ponto no senado, nas câmaras, nos palácios.

Vamos mostrar aos mandatários desta nação que aqui tem juventude ativa, criativa e alerta. E vamos nos defender, porque o cenário nos empurrado pelas Excelências, dos resultados do Enem 2014, às passagens e qualidade dos transportes públicos municipais até os assassinatos diários, brutais e silenciosos nos becos do país, nos mostra que estamos completamente sós. E sangrentos.

Retirado do Brasilpost.  

Como sobreviver à queda de um avião sem paraquedas

paraCair de um avião ou ser jogado para fora dele é uma situação bastante improvável, a não ser que estejamos falando de romances baratos ou filmes de ação. Esse destino está tão próximo de acontecer quanto ficarmos perdidos no deserto do Saara, à deriva no mar, ou sermos mordidos por uma criatura mortal exótica.

É difícil imaginar o que faríamos se estivéssemos em situações tão ruins, mas se prevenir nunca é demais, certo? Afinal, pode acontecer.

Imagine que você está caindo pelo ar, a 10 mil metros do chão e não tem nada além de inteligência, coragem e um pouco de sorte. Crendo que o frio e a falta de oxigênio não te matem antes, aqui estão quatro passos simples para tentar suavizar o seu destino depois de ser expulso de um avião:

Passo um: Não entre em pânico. Mesmo que você desmaie por falta de oxigênio, você provavelmente retomará sua consciência a tempo de tentar fazer alguma coisa.

Passo dois: Deixe sua postura parecida com a de um paraquedista voando no estilo “esquilo voador”. Para isso, faça com que seus braços e pernas formem um X, mantendo o peito para baixo e arqueando as costas e o pescoço.

Passo três: Escolha um alvo. Evite superfícies duras, e não se deixe enganar pela água: ela o golpeará tão fortemente como se você estivesse indo em encontro a uma calçada. Responda ao canto das sereias do mar e só lhe restará imaginar quanto tempo o seu corpo quebrado sobreviverá antes de se afogar.

Palheiros, arbustos, montes de neve e pântanos são a melhor aposta para uma possível sobrevivência e são mais “seguras” do que gramados ou asfalto. Árvores e vidros podem empalar você, mas eles já salvaram paraquedistas, então não custa tentar. Se não der para evitar uma área povoada, o melhor alvo pode ser um telhado.

Qualquer superfície que absorva o impacto da queda pode fazer a diferença, evitando algumas rupturas de órgãos ou traumas generalizados.

Passo quatro: Escolha a posição antes do impacto. Cair de cabeça é certamente uma má escolha. Cair com o corpo plano irá distribuir a força do impacto através do seu corpo, mas, por outro lado, a Agência Federal de Aviação dos EUA recomenda pousar com uma paraquedista, mantendo os pés juntos e os calcanhares, joelhos e quadris flexionados.

Se você cair na água, deve escolher mergulhar primeiramente a cabeça ou os pés. Independente da sua escolha, mantenha o corpo em linha reta como uma vareta. Se for mergulhar de cabeça mantenha os braços ao lado dela para protegê-la. Se for mergulhar em pé, lembre-se de apertar a sua… bem, seus músculos glúteos. Quanto menos se falar sobre o porquê, melhor.

Retirado do [Life’sLittleMysteries]

Recíproco

eles“Eu me arrastei como tenho feito toda a minha vida…indo atrás das pessoas que me interessam. Pois os únicos que me interessam são os loucos. Os que estão loucos para viver, loucos para falar. Que querem tudo ao mesmo tempo. Aqueles que nunca bocejam e jamais falam obviedades. Mas queimam, queimam, queimam como fogos de artifício no meio da noite. “

Refazendo

Hoje Aconteceu algo extraordinário comigo, e que definitivamente mudou a minha vida pra sempre. Eu gostaria de compartilhar um texto que li há algum tempo e que me lembrou que somos seres imortais, tolos porém imortais. Tudo depende somente de você.

Be Successful Step 14 Version 2.jpg

  • 1- Seja persistente. Você falhará – isso é fato. O que o definirá é sua forma de se levantar. Não desista. Se sua primeira tentativa não funcionar, não desista.
    • Não permita que a falha lhe defina. Quando perguntado sobre suas 10.000 tentativas falhas de desenvolver uma bateria, o prolífico inventor americano Thomas Edison respondeu: “Eu não falhei; apenas encontrei 10.000 formas que não funcionam”. [3]
    • Não dê desculpas. Não racionalize sua falha ao colocar a culpa em alguém ou em alguma coisa. Aceite quando algo for sua culpa. Isso o ajudará a identificar o que deve mudar para melhorar. Uma desculpa após uma falha é recusar melhorar a situação.
    • Aprenda com suas falhas. Cada falha é uma oportunidade para aprender. Se você cometer um erro e se recusar a aprender, é possível que o mesmo problema ocorra novamente no futuro. Se você cometer um erro e aprender com ele, não desperdiçará seu tempo cometendo-o novamente.
  • Be Successful Step 15 Version 2.jpg
    2- Aceite que a vida é injusta. É um fato. Você pode bocejar e desejar que as coisas sejam diferentes, ou pode se levantar da cadeira e agir. Pare de desperdiçar tempo com o quanto a vida é injusta e pense em como usar a situação para seu benefício. Newton poderia ter reclamado da maçã que caiu em sua cabeça. Em vez disso, ele identificou a lei da gravidade, sendo que hoje ele é conhecido como pai da física.
  • Be Successful Step 16 Version 2.jpg
    3 –Lembre-se de que o sucesso não garante a felicidade. O sucesso deve ser visto como a conquista de um objetivo, mas não assuma que isso lhe trará felicidade. Muitas pessoas cometem o erro de pensar que o ato de conseguir isso ou aquilo lhes fará felizes. A satisfação e realização têm muito mais a ver com como você aborda a vida do que com o que faz nela. Mantenha isso em perspectiva.
    • Não queime pontes no caminho. A vida exige muitos relacionamentos pessoas; portanto, não os negue. Se você evitou um jeito barato e eficiente de fazer uma fissão nuclear mas não possuir amigos, esposa e admiradores, isso terá valido à pena?
    • Valorize experiências, e não objetos. Humanos podem ser extraordinariamente obcecados por dinheiro. É estranho, também, que cientistas pensem que as experiências – memórias – nos tornam mais felizes que objetos comprados com dinheiro. [4] Foque em criar grandes memórias com grandes pessoas no caminho e você será feliz.
  • Be Successful Step 17 Version 2.jpg
    4 – Remova o medo e a dúvida de seu caminho. Foque em manter a positividade em todas as situações. Você ficará surpreso com como você será eficiente quando permitir que os pensamentos guiem suas ações, e não o contrário. Se você falhar, não tema em recomeçar; fique feliz por ter recebido a chance de ser ainda mais bem-sucedido.

(Retirado do WikiHow)

Abraçe a oportunidade

abraço

“Para os erros há perdão;
para os fracassos, chance;
para os amores impossíveis, tempo…

Não deixe que a saudade sufoque,
que a rotina acomode,
que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e
acredite em você.

Gaste mais horas realizando que sonhando,
fazendo que planejando,
vivendo que esperando
Porque, embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu.”

(Luis Fernando Veríssimo)