Pessoas ímpares

Drummond já dizia: “ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar”. Somos diferentes em opiniões, sonhos e vontades e é exatamente isso que nos torna únicos.

Tem-se por definição que pessoas ímpares são pessoas solitárias e amargas, mas isso é tão errado quanto contrário. Pessoas ímpares são pessoas reais, verdadeiras e simples. São pessoas que, embora saibam o valor da solidão, também, valorizam a companhia do outro.São pessoas que aprenderam a se amar, antes de despertar o amor ao próximo.

Chega a ser assustador essa necessidade em amar e ser amado que algumas pessoas apresentam, como se isso fosse um objetivo de vida e não e não um acaso. Muitos não entendem a diferença entre estar só e ser só e fazem dos momentos de solidão verdadeiros martírios para a alma.

Fernando Pessoa afirmava que o homem que não se encontra na própria solidão, não é verdadeiramente livre: “a liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo.”

Artur da Távola tem uma das definições de amor mais realistas da literatura moderna: “é preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, “solamente”, não basta. Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade.

Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas sozinho não dá conta do recado. O amor é grande mas não é dois. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência.”

O insucesso de muitos relacionamentos se dá exatamente por essa razão: além de idealizarem um amor romântico inexistente, não conseguem ser boas pessoas ímpares, logo não são boas pessoas pares.

Outro grande problema que envolve o relacionamento é a responsabilidade que se coloca no outro em fazer o relacionamento dar certo. É preciso entender que não está nas mãos de ninguém a sua felicidade. O grande amor da sua vida é você! Honre-se! Respeite sua história, sua vida, sua família. Não crie expectativas que o outro não poderá suprir. Seja ímpar antes de ser par!

Quando falamos em pessoas ímpares falamos em pessoas que sabem ser felizes nos momentos mais delicados da vida. Falamos de pessoas guerreiras, simples, reais e que, por terem enfrentado as dificuldades de peito aberto, estão prontas para serem e fazerem outras pessoas felizes.

Pessoas ímpares são boas porque acreditam no amor, mas sabem que ele não tem poder de vencer tudo. São fieis, constantes e responsáveis. Possuem endereço fixo, são fáceis de encontrar e não somem no meio da relação como o mestre dos magos.

Pessoas ímpares são fortes. Encaram os problemas de frente e não culpam os outros pelas cicatrizes que carregam. Sabem que o companheiro atual não tem culpa do que os anteriores fizeram. Sabem que a felicidade não possui fórmula mágica e encontram na rotina motivos para serem felizes.

Pessoas ímpares não temem o tempo, as rugas, a solidão. Esperam por seus milagres lutando e não acreditam em resultados sem esforços. Pessoas ímpares são imperfeitas, cometem erros e sabem o valor do perdão. Sabem que a mudança de comportamento tem mais valor que meia dúzia de rosas entregues sem arrependimento.

Pessoas ímpares perdoam traições, mas não ficam vítimas delas. Terminam relacionamentos, mas se curam dos traumas. Carregam cicatrizes, mas não carregam as dores.

Pessoas ímpares são gratas, felizes e doces. Eternas aprendizes da vida, acreditam que essa vida é apenas uma passagem e, por isso, conseguem ver além das dificuldades.
Pessoas ímpares são raras, mas existem e eu desejo que, antes de você encontrá-las, você saiba a importância de se tornar uma.

Anúncios

O Caminho da Vida



O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.

A cobiça envenenou a alma dos homens… levantou no mundo as muralhas do ódio… e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido. 

(Charles Chaplin)

Meu amor começa com Café


Meu amor começa com café
Com muitas colheres de fé
A suavidade de uma mulher
O aroma diferente do chulé

Meu amor começa com samba
Aquele passo que zomba
Que deixa a perna bamba
E alegria a gente grita: Caramba!

Meu amor começa com o agora
rindo do tempo que passou, embora
lembranças que a alma revigora
Nossa! to atrasado, ora!

Meu amor começa sutileza
Misturado com gentileza
Querendo passar as férias em Fortaleza
Olha o camarão de praia! Que beleza.

Meu amor começa com amor
Uma chama viva de clamor
Azar no jogo e sorte no amor.
Paz e… amor.

Não é o amor que sustenta o relacionamento, é o modo de se relacionar que sustenta o amor

abraçoAmar é tão simples. As pessoas é que complicam, as pessoas é que idealizam demais e esquecem de viver a realidade que, por mais complicada que possa parecer, continua linda de viver. As pessoas se esquecem de que o amor precisa ser alimentado não com presentes e jantares caros. Não, o amor não precisa ser financiado para se manter.

O problema é que as pessoas se esquecem do chocolate favorito quando vão ao mercado, se esquecem de que aquela camiseta do Star Wars vai fazer o coração do outro bater mais forte e que o sorriso vai ser desenhado aos poucos em seu rosto como quem diz obrigada.

As pessoas se esquecem da cor favorita, da sobremesa preferida, se esquecem de que um filme de comédia romântica, em um final de tarde no domingo, faz bem. As pessoas se esquecem de elogiar aquele vestido novo, de dizer o quanto está linda naquele pijama velho que a deixa ainda mais bonita.

As pessoas se esquecem da importância de assistir um jogo de futebol com o parceiro, de gritar com ele quando o seu time faz um gol e de vibrar com os “quase” gols.

As pessoas se esquecem de tirar um tempo de qualidade para escutar o outro. As pessoas se esquecem de dar uma flor dessas que a gente rouba do quintal dos outros (risos). De elogiar o perfume novo e de dizer aos pés do ouvido o quanto ama esse alguém.

Não precisa de buquê no trabalho, não precisa levar para jantar em um restaurante caro, não precisa encher de joias, comprar presentes caros. Não precisa disso para manter a chama do amor acesa. Não é isso que faz pegar fogo.

Um beijo na testa faz o coração de qualquer mulher se acalmar, um abraço quando as coisas não estão bem faz com que a gente se sinta protegido e assistir aquele filme que o outro tanto quer, também sabe agradar.

Beijos ao pé da orelha causam arrepios e o toque sincero faz o corpo balançar. O problema é que as pessoas são intensas demais no começo de um relacionamento e fazem de tudo para conquistar o outro, mas não sabem como lidar com todo o sentimento que, às vezes – na maioria das vezes – parece não caber dentro da gente.

E aí vem os inúmeros presentes, os inúmeros agrados, os inúmeros elogios e depois de um tempo, a insegurança vai embora e a gente se esquece de que é preciso conquistar todos os dias. Mas isso, ao contrário do que muita gente pensa, não é um fardo, obrigação e está longe de ser um sacrifício.

É a simplicidade que emociona, é o beijo de bom dia, é o “sonhei com você”, é o elogio sincero e inesperado, é o cuidado, é fazer aquele mousse de maracujá, preparar uma janta em casa mesmo e dizer: “Só tinha ovos, fiz um omelete delicioso pra nós dois. Espero que goste”. Um recado deixado no meio dos seus livros é o suficiente para fazer o nosso coração sorrir.

Vai, manda um SMS no meio da tarde dizendo que não consegue parar de pensar nele, compra o seu chocolate favorito e aparece de surpresa. Vai, compra uma rosa – não um buquê- e deixa um bilhete dizendo o quanto você a ama.

Não deixe cair na mesmice, continue fazendo aquele belo sorriso brotar, aqueles lindos olhos brilharem. Vai, continua fazendo aquele corpo balançar com o teu toque. Vai, mantém essa chama acesa e deixe incendiar. O amor se alegra com a simplicidade e são as pequenas coisas que fazem o nosso coração sorrir sem medo, como quem tem alguém ao seu lado querendo fazer morada.

(Retirado do ResiliênciaMag)

A beleza das escolhas simples

lolcal.jpg

Tutto bello é italiano,
Mas a beleza não tem definição
Igual um bordado em um pano
Que depende de quem borda esta ação

Aos olhos de quem vê, tudo é magnífico
Aos olhos de terceiros, nem sempre é assim
Por amor, pessoas atravessam até o pacífico
e há quem diga que um calçado bonito é mocassim

Vivemos uma Era de aparências
Onde quem mostra mais o que têm
É super feliz, dispensa reticências
Mas a aparência que se mantém

É diferente do que você é por dentro
Felicidade é um estado de espírito
E não acumulação de bens e sentimento epicentro
É algo puro, sincero e restrito.

Cabe somente a você e a sua consciência
Porque viver para os outros não é viver
é morrer pelo pecado da aparência
Não é baseado no que você quer ter.

Mas sim no que você já possui
É cultivar a simplicidade e a humildade
Transbordando de alegria, o amor flui
Que é a base da mais pura felicidade.

 

O Dom da ignorância

v.jpgTom tinha o poder de mudar seu destino a cada manhã. Todos os dias ele vivia de forma única, ele tinha o poder de alterar qualquer escolha de sua vida inteira em uma noite, e cada escolha era única.

Ele fazia seu destino e ao longo do dia ele sofria as consequências de suas escolhas. Anoitecendo ele poderia resetar o dia, e escolher algum caminho diferente, mas por este breve momento, ele sentia remorso e orgulho ao mesmo tempo.

O mundo mudava, e as escolhas de Tom também.

Certo dia escolheu para de comer açucar aos 9 anos. Na manhã seguinte, ele ficou dos 9 anos de idade até os 30 sem comer açucar, ele tem 30. Acordou mais saudável, porém mais magro.

No mesmo dia anoite, ele escolheu fazer academia aos 10 anos de idade. Na manhã seguinte tom amanheceu bem forte, porém baixo, a academia precoce fez dele um cara pequeno.

Anoite ele fez outra escolha, e sucessivamente as consequências iam lhe acontecendo.

Até que chegou em um momento que tom tinha tudo, poder, glória, corpo sarado, muito dinheiro, uma vida muito bem estruturada, mas lhe faltava uma coisa muito importante: experiência.

Tom vivia com as consequências de suas escolhas, mas não tinha experiência delas.

Resumindo: Tom não tinha sucesso ou era feliz, Tom era um cara que acumulou muitas coisas na vida das quais não faz uso, ele era um cara “alienado” apesar de ter escolhido objetivos ao decorrer da vida.

Muitas pessoas fazem algo porque alguém lhe disse para fazer, se tornam bem “sucedidos”, porém sem felicidade, sem experimentar a felicidade.

Não seja Tom.

Busque experiências ao invés de sucesso. Busque felicidade ao invés de “status”.

Somente assim você viverá uma vida plena e feliz.

 

A tristeza anda calada

felicidade

Não pense que a emoção possa conquistar terreno sem ao menos ter um esforço conjunto com outras emoções, a tristeza anda calada. Confie nas suas escolhas e siga seu coração para não deixar que a solidão e o desespero peguem carona nesse trem badalado, pois a tristeza anda calada.

(Mago de Marte)