A alegria de ter 30 e poucos anos

capa-016

Por Smiley Poswolsky 

Quando você faz 30 anos, não dá mais para fingir. É impossível trabalhar em um lugar que você odeia, é impossível namorar quem você não ama e é impossível não cuidar bem do seu corpo. Depois dos 30, você está mais sintonizado com o seu corpo, seu coração e sua alma.

Algumas mudanças são difíceis… seu corpo começa a rejeitar algumas coisas como excesso de café ou ficar bêbado e acordado a noite inteira. Seu coração começa a se interessar menos por explorar livremente por aí e mais por intensificar algo com quem você realmente gosta.

Sua essência está mais conectada com os seus verdadeiros desejos. Aos 30, você para de enganar tanto as pessoas. E, consequentemente, você também para de se enganar. Aos 30, você começa a perceber quem é e o que quer. Aos 30, você está confiante sobre as suas qualidades, mas também conhece seus pontos fracos. Aos 30, você substitui desculpas esfarrapadas por verdades. Aos 30, uma ressaca não é mais uma leve dor de cabeça no domingo de manhã… É tipo o pior dia da sua vida.

giphy

Quando eu fiz 30 anos, eu resisti à muitas dessas mudanças. Eu chorei quando o médico me mandou tomar menos café e mais Omeprazol. Eu fiquei indignado quando fiquei bêbado com duas cervejas e ainda me senti morto no dia seguinte. Senti que tinha algo errado comigo por não querer aproveitar a noite de sexta.

Quase 3 anos depois, eu estou apaixonado pelos meus 30 e poucos anos.

Eu faço o que eu quiser das minhas noites de sexta. Geralmente, eu leio um livro ou assisto Netflix. Coloco um moletom assim que chego em casa, e me deito por volta das 9. Se eu saio, faço coisas como ir em uma aula de yoga noturna. Quando eu tinha 24, você jamais me encontraria em um estúdio de yoga em plena sexta-feira. A não ser que estivesse rolando uma festinha hipster no estúdio…

Claro que ainda tomo uma ou outra taça de vinho, mas minha semana não gira mais em torno de beber. Quando me perguntam se eu quero fazer alguma coisa, eu já imagino um programa ao ar livre ou uma viagem para algum lugar legal, e não necessariamente beber.

Eu achava que gente que acorda cedo vinha de outro planeta. Lembro que uma vez, durante a faculdade, cheguei na casa dos meus pais com um amigo lá pelas 5 da manhã, depois de uma balada. Cheguei tropeçando em mim mesmo, de tão bêbado, e dei de cara com o meu pai. Ele já estava acordado e amarrando o tênis, pronto para correr. Ainda não cheguei nesse nível de acordar às 5 da manhã, acho que é um hábito que começa lá pelos 50. Mas meus dias favoritos são os que eu estou na rua logo de manhã, respirando ar puro e me exercitando.

Aos 20, você quer ser amigo de todo mundo. Tudo gira em torno de conhecer gente nova para sair. Tem aquilo de no sábado vai rolar tal coisa, que quase sempre se resume em 5, 10 ou 20 amigos aleatórios no bar ou na balada.

anigif_enhanced-buzz-6250-1432392826-6

Aos 30, esses rolês começam a ficar insuportáveis. Você já sabe quais são seus amigos de verdade. Depois de anos de vamos marcar alguma coisa, essas saídas são substituídas por programas mais intimistas. É claro que, de vez em quando, eu topo uma festinha, mas geralmente prefiro conversar com alguém que seja realmente importante para mim, que faça parte da minha vida e que eu gostaria que estivesse no meu casamento – e não alguém que só curte as minhas fotos no Facebook.

É uma delícia cuidar do seu corpo e do seu coração com mais carinho, ser fiel à quem você e ao que você deseja. Inclusive, ficar em casa em uma sexta-feira e aproveitar a vida com quem você realmente quer.

Essa é a alegria de ter 30 e poucos anos.

Anúncios

De que lado você está?

84589749Com a globalização, vários setores mundiais sofreram mudanças. Mudanças que fizeram  a sociedade ter um acesso a tecnologia de maneira global. Vivemos uma época que o ontem é história, e o hoje imerge o presente de maneira surpreendente.
Não é de hoje que o mundo está mudando cada vez mais rapido, vivemos numa era onde o que é novo agora, pode se tornar obsoleto amanhã. Uma era onde as grandes transformações acontecem a mais de 100 mil Kb/segundo, mesmo quando estamos em OFF.
As mudanças climáticas estão aumentando e prever o futuro ficou quase tão incerto como tentar advinhar. O Trânsito está caótico e chegar primeiro virou mais importante que chegarmos juntos. Não existe mais diálogo. Buzinar virou mais importante que falar. Estamos compartilhando Individualidade ao invés de Solidariedade.

Vivemos uma era onde 24 horas é pouco para respondermos todos os emails que recebemos. Nossas redes sociais e nossos amigos agora são virtuais. Antes vivíamos conectados a terra, ao mato , ao vento, a água ou simplismente as coisas que nos fazem bem. Agora apenas estamos conectados à internet. Será que é essa a evoluçaõ da humanidade?
Aquilo que irá nos levar adiante?
ON ou OFF? O que devemos ser? De que Lado devemos estar?
“Pedir licença”, “por favor”, falar “obrigado”, “você primeiro”, “Desculpe” é OFF.
Dizer “olá”, ou as vezes dizer nada é ON.
Prazer em reunir amigos, juntar a turma e compartilhar experiências é OFF. Enviar mensagens prontas e curtir fotos de desconhecidos é ON. Jogar bola, andar de Skate, conhecer pessoas, se aventurar é OFF. Viver o tempo todo dentro do escritório e não sair do quarto, ON ou OFF? De que lado você está? Essa é uma das poucas respostas que você não vai encontrar. É preciso parar para pensar, afinal é muito difícil saber como vai ser o futuro quando você não tem a menor idéia do que está acontecendo no presente.
É hora de reiniciar o jeito de você ver o Mundo. Que o mundo pode ser igual, mas diferente. Não adianta você querer a sustentabilidade sem ser sustentável. De que lado você está? O consumo inconsciente pode ser evitado. O que você tem de mais? Muitos ainda nem conhecem…
O desperdício deve ser combatido. O colapso econômico do planeta não se resolve com a elevação das suas compras, mas talvez com o retorno das suas origens humildes, sinceras, despretenciosas, colaborativas e auto-produtivas. ON ou OFF, de que lado você está? Está passando a hora de se ligar. Plante o Bem para colher o Bem. Onde se planta, tem vida. Temos que ficar com o Planeta e respirar o mesmo ar. Temos que deixar filhos melhores, para que tenhamos netos melhores.
Sustentabilidade é isso, saber se desligar na hora certa e respeitar o meio ambiente. Viver em comunidade e para comunidade. As melhores idéias do mundo são as melhores idéias para o mundo. Lembre-se, não existe flores sem semente. O mundo está ficando carente de gentileza. A intolerância está gerando intolerância. Somos capazes de reclamar um dos outros mas não somos capazes de responder uma indelicadeza com um sorriso. Se não mudarmos, o mundo não muda.

ON ou OFF? De que lado você está? O mundo está mudando muito rápido, ou corremos agora ou iremos correr atrás. Conecte-se ao novo Futuro para o Planeta. Nunca deixe que ele desligue.

Mestre!!!

“Além da Graduação, fiz mestrado em matemática. Só não fiz doutorado porque acho que o título de mestre muito mais legal que o de doutor. O mestre tem súditos, já o doutor tem pacientes: um catarrento, outro leproso…
Prova de que mestre é mais legal é que as grandes figuras são mestres. O Yoda é mestre Yoda, não doutor Yoda. Mestre Splinter, Mestre dos Magos, tudo mestre. Quem é Doutor? Doutor Hollywood. Pfff. Doutor Dolittle. Não sei vocês, mas eu acho muito melhor ter poderes Jedi do que falar com uma arara.
O título de mestre tinha que vir depois do de doutor. Ou então vem primeiro mestre e depois algo mais foda, sei lá, Senhor Imperador do Universo Triunfal Pirocudo, ou algo mais foda ainda: Brad Pitt. Brad Pitt é foda. Eu queria ter o Título de Brad Pitt.
-Ou, você faz o quê?
– Sou Brad Pitt em economia.”

Li esse post uma vez e achei muito interessante,
Não sei a autoria, mas irei postar aqui, gostaria de saber a autoria viu… o cara tem futuro com idéias bem interessantes!