O psicopata da Meia Noite

Homens-sem-Face-Conceito-de-Anonimato.jpgA mente humana é a arma mais poderosa do universo conhecido e desconhecido. Por ela podemos fazer coisas inacreditáveis como também coisas inacreditavelmente fatídicas.

Existia certa vez, em um certo ano, num vilarejo um camponês que acreditava ter o poder de materializar seus sonhos. Muitos diziam que ele era maluco, que sofria de doenças mentais por causa de sua infância perturbadora e conhecida pela região. Perdera seus pais ainda criança, em um incêndio que supostamente teria sido acometido por ele(dizem os relatos), mas nada justificava aquilo, mesmo porque ele era uma criança com 1 ano e 8 meses de idade. Não teria mentalidade para qual, mas diziam que era ele por ser o único a sobreviver sem nenhum estrago. A história se instigou por 15 anos em um orfanato, onde sofrera bullying frequentemente, até que, ao completar 20 anos, teve de sair para começar a vida no trabalho na cidade, pois seus afazeres já estariam no limite dentro do pequeno vilarejo. Vamos chamá-lo de Binino.

Ele começou a perceber que quando alguém fazia algo de ruim com ele, e ele pensava em algo de ruim para a pessoa, aquilo acontecia. E ele ficou muito perturbado, pois tinha muita bondade em seu coração, apesar de todo sofrimento durante a vida inteira.

Não sabendo a quem recorrer naquela época, bem no meio do apogeu de grandes invenções, ele estava em uma taberna, tomando uma bebida típica do local com gosto de maçã podre, quando viu um pequeno cartaz sobre algo de magia e controle mental.

Acredite, naquela época isso já existia, na verdade isso sempre existiu em épocas mais remotas à criação humana, muito antes do que chamávamos de dinossauro, mas vamos voltar ao assunto.

Binino seguiu rumo ao tibet, a viagem demorou 1 ano e 38 dias, chegando perto da montanha da neve, onde o sol visitava remotamente, ele pode perceber que não era o único que fazia esta jornada. A definição de jornada é muito distinta em várias civilizações, podemos dizer que a maneira como encaramos os problemas da vida, nos fazem enxergarmos a vida em outra perspectiva, mas não elimina o problema inicial.

Por issofadasfklçhkaldlfkjasd fjklsd fasf ygfao çwlkqr çwlkwfhjf ladshfk ahjalllllffffffffffffksdahfsdk jlhjawjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj/ç

Anúncios

O Bem e o Mal.

yyPercebi que o mundo que me rodeia está cada vez maior, isso decorre de vários acontecimentos diários. Vejo “amigos” tentando ser “amigos”, vejo verdadeiros amigos cruzando linhas que até presente momento não cruzariam e vejo pessoas que usam o mal como ferramenta para distorcer a realidade que vivemos à beneficio próprio. E no fim, todo mundo vê essas atitudes como “Pessoas de Bem”. Vou explicar a definição do Bem e do Mal de forma simples para expor o que farei logo em seguida.

Nós somos fragmentos da criação, na verdade somos o desejo de desfrutar, o desejo de nos realizarmos e esse desejo só é capaz de receber. Se a intenção por trás desse desejo for de “receber para seu próprio benefício”, então nós chamamos essa intenção (mas não o desejo) de “má”. Veja bem, o desejo é uma matéria que não muda e que não pode ser considerado bom ou mau. Apenas a intenção determina se ele é bom ou mau e é aí que reside a nosso livre arbítrio.

Nós nunca tivemos liberdade de escolha em relação aos nossos desejos, nos níveis inanimado, vegetativo, e animado. Não podemos mudar nada em relação a esses desejos. Este fato é confirmado por todas as pesquisas científicas. A única mudança que podemos eventualmente fazer é no nível humano, o que nós podemos mudar é a INTENÇÃO por trás do desejo.

O desejo em si foi criado pelo Criador e foi dado a nós numa forma imutável. A intenção por trás do desejo que nos foi dado inicialmente é egoísta: “para o nosso próprio benefício”. Nós devemos perceber que esta intenção é , porque é dirigida contra a união, contra a doação ao próximo, e contra a doação ao Criador.

No entanto, a nossa intenção pode ser oposta: “para o bem dos outros”, em prol da doação. Então, ela é chamada de “inclinação ao bem”. Assim, a inclinação ao bem e a inclinação ao mal, ou bem e mal, são definidos de acordo com a intenção. No entanto, a “inclinação” em si, o desejo, é imutável. Tudo é definido pela intenção no nível humano. A intenção de tornar-se semelhante ao Criador é chamada de boa, e a intenção oposta é chamada de má. A expressão da intenção ocorre através da união ou através da separação dos outros.

Portanto, de todas as minhas intenções, eu tenho que escolher apenas aquelas que me dão liberdade de escolha: a liberdade de me unir com outras pessoas através de uma intenção comum pela doação mútua. E assim nós nos tornarmos equivalentes ao Criador.

Esta é a nossa única chance de escolher o bem ou o mal, seja em relação ao nosso egoísmo ou em relação ao que o Criador coloca diante de nós. Portanto, se quisermos nos corrigir, isso só pode ser feito através de fé e disciplina. Quando você alcançar o desejo de desfrutar, ela transforma sua qualidade má numa qualidade boa, ou seja, ela muda a intenção de recepção em intenção de doação. E você se torna livre novamente e se aproxima mais do Criador.

É preciso eliminar a maldade, é preciso limpar o mundo de pensamentos impuros, pensamentos egoístas, é preciso morrer para viver novamente. Não existe uma hora, uma época ou uma hora marcada para que isto aconteça, de fato, pode acontecer à qualquer momento. Faça acontecer no agora.