Complexo de Vira-latas

neslonHoje vou fazer do escrete o meu numeroso personagem da semana. Os jogadores já partiram e o Brasil vacila entre o pessimismo mais obtuso e a esperança mais frenética. Nas esquinas, nos botecos, por toda parte, há quem esbraveje: “O Brasil não vai nem se classificar!”. E, aqui, eu pergunto:

— Não será esta atitude negativa o disfarce de um otimismo inconfesso e envergonhado?

Eis a verdade, amigos: — desde 50 que o nosso futebol tem pudor de acreditar em si mesmo. A derrota frente aos uruguaios, na última batalha, ainda faz sofrer, na cara e na alma, qualquer brasileiro. Foi uma humilhação nacional que nada, absolutamente nada, pode curar. Dizem que tudo passa, mas eu vos digo: menos a dor-de-cotovelo que nos ficou dos 2 x 1. E custa crer que um escore tão pequeno possa causar uma dor tão grande. O tempo passou em vão sobre a derrota. Dir-se-ia que foi ontem, e não há oito anos, que, aos berros, Obdulio arrancou, de nós, o título. Eu disse “arrancou” como poderia dizer: “extraiu” de nós o título como se fosse um dente.

E hoje, se negamos o escrete de 58, não tenhamos dúvida: — é ainda a frustração de 50 que funciona. Gostaríamos talvez de acreditar na seleção. Mas o que nos trava é o seguinte: — o pânico de uma nova e irremediável desilusão. E guardamos, para nós mesmos, qualquer esperança. Só imagino uma coisa: — se o Brasil vence na Suécia, se volta campeão do mundo! Ah, a fé que escondemos, a fé que negamos, rebentaria todas as comportas e 60 milhões de brasileiros iam acabar no hospício.

Mas vejamos: — o escrete brasileiro tem, realmente, possibilidades concretas? Eu poderia responder, simplesmente, “não”. Mas eis a verdade:

— eu acredito no brasileiro, e pior do que isso: — sou de um patriotismo inatual e agressivo, digno de um granadeiro bigodudo. Tenho visto joga dores de outros países, inclusive os ex-fabulosos húngaros, que apanharam, aqui, do aspirante-enxertado do Flamengo. Pois bem: — não vi ninguém que se comparasse aos nossos. Fala-se num Puskas. Eu contra-argumento com um Ademir, um Didi, um Leônidas, um Jair, um Zizinho.

A pura, a santa verdade é a seguinte: — qualquer jogador brasileiro, quando se desamarra de suas inibições e se põe em estado de graça, é algo de único em matéria de fantasia, de improvisação, de invenção. Em suma:

— temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de “com plexo de vira-latas”. Estou a imaginar o espanto do leitor: — “O que vem a ser isso?” Eu explico.

Por “complexo de vira-latas” entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, no futebol. Dizer que nós nos julgamos “os maiores” é uma cínica inverdade. Em Wembley, por que perdemos? Por que, diante do quadro inglês, louro e sardento, a equipe brasileira ganiu de humildade. Jamais foi tão evidente e, eu diria mesmo, espetacular o nosso vira-latismo. Na já citada vergonha de 50, éramos superiores aos adversários. Além disso, levávamos a vantagem do empate. Pois bem: — e perdemos da maneira mais abjeta. Por um motivo muito simples: — porque Obdulio nos tratou a pontapés, como se vira-latas fôssemos.

Eu vos digo: — o problema do escrete não é mais de futebol, nem de técnica, nem de tática. Absolutamente. É um problema de fé em si mesmo.

O brasileiro precisa se convencer de que não é um vira-latas e que tem futebol para dar e vender, lá na Suécia. Uma vez que ele se convença disso, ponham-no para correr em campo e ele precisará de dez para segurar, como o chinês da anedota.

Insisto: — para o escrete, ser ou não ser vira-latas, eis a questão.


Texto extraído do livro “As cem melhores crônicas brasileiras”, editora Objetiva, Rio de Janeiro (RJ), p 118/119, e ao  livro “À sombra das chuteiras imortais: crônicas de chutava”, seleção de notas de Ruy Castro – Companhia das Letras – 1993.

Nelson Rodrigues tudo sobre o autor e sua obra em “Biografias.

Anúncios

P “in” B!

Preto no branco_logo

A chuva cai
O vento sopra
A verdade sai
O louco alopra

Ciências exatas
Relatórios de atas
Dentre tantas mulatas
Ketchup com muitas batatas

Calvin Klein é marca
Suco é fruta
Khan era Monarca
Platoon só tinha recruta

A vida é assim
Vivendo e aprendendo
Aquele sabor carmesim
Ela me surpreendendo

Não sou desatino
Ela me deixa franco
Aquela ironia do destino
O Preto no Branco.

Brasil em Crise: tudo o que você gostaria de entender mas não sabe nem por onde começar

(Site oficial)

As dúvidas que assolam a república, em um pequeno FAQ (atualização permanente)


O grampo em Lula e Dilma foi ilegal?

O material foi obtido com autorização da Justiça. Ou seja: ilegal, não é. Quem autorizou foi juiz Sérgio Moro, titular do processo. Existem áudios de conversas do ex-presidente Lula com diversas pessoas, entre elas a presidente Dilma. E aqui pairam duas dúvidas essenciais:

1. Um dos áudios, no qual Dilma fala que enviou o documento de posse para efetivar Lula como ministro — e o aconselha a “usar em caso de necessidade”  — foi gravado após o horário do despacho do juiz Sérgio Moro que encerraria as interceptações telefônicas. Esse áudio está sendo contestado. É válido? É legal? Pode estar no processo contra Lula? A palavra final caberá ao STF, para onde Moro enviou a investigação. O ministro do STF, Marco Aurélio de Mello, que havia criticado duramente Sérgio Moro por obrigar Lula a prestar depoimento, sinalizou que a suprema corte não vê problema no áudio contestado: chamou de “pecadilho”.

2. Moro poderia ter divulgado os áudios? Opiniões de especialistas vêm pululando pela imprensa. O direito é elástico o suficiente para defender ou condenar a prática. Moro alega interesse público, seus detratores dizem que o argumento é frágil e que a intimidade de Lula deveria ser preservada. Além do mais, alegam que, por se tratar de um grampo que envolve a presidente da República, esses áudios deveriam obrigatoriamente ir ao STF sem qualquer divulgação.

Isso anula a Lava Jato?

Não. Esses áudios se referem somente a 24º fase da operação, que investiga Lula. Juridicamente, no entanto, existem muitos caminhos. Se a tese do “pecadilho” prevalecer, o processo seguirá seu curso para análise das provas. Mas há chance de o áudio gravado após o fim das investigações ser considerado ilegal. Nesse caso, a possibilidade de anular o processo é real. Durante a Operação Satiagraha, escutas ilegais foram usadas contra o banqueiro Daniel Dantas, que acabou preso. Mais tarde, o processo foi anulado — e Dantas solto — por “contaminação de provas”.

Afinal, houve vazamento dos áudios?

Não. Quem autoriza a publicidade dos autos de um processo ou de parte deles é o juiz. O juiz da Lava Jato é o Moro, que levantou o sigilo e divulgou as conversas. Não é, portanto, um vazamento. Para Moro, é importante que o povo avalie, a partir das gravações, se um ex-presidente está usando o governo para interesses pessoais e de partido. Muitos juristas discordam, e acreditam que o processo deveria ter sido apreciado antes de ir à imprensa.

Mas transparência pública é bom. A justiça está mudando para melhor?

Mais ou menos. Vamos pegar o exemplo que Moro mais gosta de usar: a operação Mãos Limpas, que varreu os partidos italianos nos anos 1990 em um sistema de corrupção muito parecido com o do Brasil. A Mãos Limpas fez uso de grampos para processar corruptos e corruptores. O sucesso da operação fez com que as interceptações autorizadas pela justiça se tornassem uma prática comum na Itália, virando quase o caso do remédio em excesso que se torna veneno.

Segundo dados do ministério da Justiça italiano, em 2012 foram autorizadas 124 mil interceptações telefônicas. Considerando que cada pessoa interceptada na Itália fez em média 26 ligações por dia, estima-se que espantosas 181 milhões de conversas foram ouvidas por investigadores — em um país de 60 milhões de habitantes. Como comparativo, o volume de grampos italianos é superior a França (41 mil), Alemanha (23 mil) e Reino Unido (3 mil) somados.

A quantidade de grampos fez suscitar críticas em relação a um estado policial na Itália. Aproveitando a onda, políticos tentaram restringir ao máximo os grampos. O equilíbrio é delicado.

O Brasil está virando um estado policial?

Muitos sinais são preocupantes. A Lei anti-terrorismo é a pior delas. Apesar de ter sido sancionada com vetos importantes pela presidente Dilma, a lei ainda é temerária. É preciso dar força ao Estado para controlar o crime, mas os direitos fundamentais precisam ser resguardados. “Quem não deve não teme” é uma grande falácia a favor do vale-tudo. Alguém gostaria de abrir permanentemente sua conta de e-mail e gravações telefônicas só por garantia?

Lula pode ser ministro? Não é ilegal?

Pode. Não é ilegal. A chance de ele perder o cargo reside, justamente, se comprovado que aceitou o convite somente para se proteger da Justiça. Sua nomeação está suspensa, aguardando manifestação da Advocacia Geral da União no STF, que decidirá o caso nas próximas semanas.

O que a economia tem a ver com isso?

O que se convencionou chamar de “economia real”, no curto prazo, pouco. Lula ministro não fará mágica. O Brasil não melhora em pouco tempo com ele no Governo. Nenhuma figura salvadora vai dar jeito. A Bolsa, por outro lado, sofre dois movimentos: entrada e saída constante de capital externo, que faz ações e dólar flutuarem, e euforia de pequenos investidores que lêem “melhora” ou “piora” a cada passo da Lava Jato. Além disso, sofremos com guerra cambial.

E os militares?

Eles não podem espirrar que ficamos com medo. Tomei a liberdade de consultar um militar do alto comando do Sul, que pediu pra ter seu nome preservado. Não é garantia de nada, até porque, se seguir o movimento de 1964, como mostrou Elio Gaspari em sua coleção de livros sobre a ditadura, o Exército não opera de forma unida e podem existir rebeliões internas e rachaduras. No entanto, segundo essa minha fonte, “não há qualquer clima de golpe”. Nossa democracia deve dar conta da crise com as regras que estão postas. A responsabilidade é nossa.

Estou em cima do muro? Sou uma pessoa horrível?

Nem mesmo juristas concordam entre si com boa parte do que vem acontecendo. Cuidado também com a opinião de “especialistas”. Muitos têm interesses (clientes implicados na Lava Jato, por exemplo), e nenhum deles têm acesso aos autos do processo. Ou seja: estão opinando sobre teses que podem ou não espelhar a verdade processual. São opiniões que nos ajudam a formar uma consciência, mas apenas isso. E, politicamente, talvez você não esteja em cima do muro, mas contra um sistema político de oligarcas que abarca todos os que, aparentemente, estão brigando pelo poder. Todos os partidos que comandam o país estão atolados nessa lama.

Moro é um herói nacional?

Por favor, não eleja heróis. A melhor política se faz com instituições fortes, não pessoas. É hora de ser iconoclasta, não ingênuo.

A imprensa é isenta?

Uma árvore é isenta?

Ok, mas e a imprensa?

A imprensa é como a política, o judiciário, a natureza. Não existe essa unidade “a imprensa”. Filtre suas fontes de informação e não passe boatos adiante. Prefira falar sobre fatos com fontes comprovadas em vez de espalhar opiniões sem fundamento no mundo real.

A lava jato vai mudar o país?

Já mudou, por tudo o que está acontecendo, para o bem e para o mal. Mas o que mudaria mesmo o país seria uma reforma política, para começar. As campanhas são muito caras e isso faz com que os financiadores cobrem a conta rapinando os cofres do Estado. Fora isso, claro, seria importante votar melhor, e sobretudo ser uma pessoa melhor no dia a dia. Ou, como disse o jornalista e escritor italiano Indro Montanelli em um artigo de 1995 sobre a operação Mãos Limpas: “Mas e o país é melhor que a classe política?”.

Extraído do Medium

(Escrito por Leandro Demori)

Moody’s tira grau de investimento do Brasil

crysisAgência derrubou nota do país em dois ‘degraus’ de uma só vez. Das 3 maiores agências, só Moody’s não tinha tirado selo de bom pagador.

A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota do Brasil e tirou o grau de investimento – selo de bom pagador – do país nesta quarta-feira (24), como já era esperado. A nota do país caiu dois degraus de uma vez: passou de Baa3, o último nível dentro do grau de investimento, para Ba2, que é categoria de especulação. A agência também colocou o Brasil em perspectiva negativa, indicando que pode sofrer novo rebaixamento.

Em nota, a Moody’s afirma que o corte da nota foi influenciado pela maior deterioração das métricas de crédito do Brasil, em um ambiente de baixo crescimento, com expectativa de que a dívida do governo ultrapasse 80% do Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos três anos.

A agência também aponta a “dinâmica política desafiadora” vai continuar a complicar os esforços de consolidação fiscal e atrasar as reformas estruturais.

“A perspectiva negativa reflete a visão de que os riscos são de uma consolidação e uma recuperação ainda mais lentas, ou de que surjam mais choques, o que cria incertezas em relação à magnitude da deterioração do perfil de crédito do Brasil.”

Última a tirar grau de investimento
Entre as três grandes agências internacionais, apenas a Moody’s mantinha o Brasil com grau de investimento. No dia 9 de dezembro, entretanto, a agência colocou a nota do país em revisão para possível rebaixamento, indicando que ela poderia ser reduzida em breve.
A primeira a tirar o selo de bom pagador do Brasil foi a Standard and Poor’s (S&P), em setembro do ano passado. Há uma semana, a agência voltou a rebaixar a nota brasileira.

Em dezembro, foi a vez da Fitch, que ao mesmo tempo colocou a nota do país em perspectiva negativa, indicando que ela pode voltar a ser rebaixada.

Como principal motivo para a retirada do grau de investimento do país, as agências apontam a deterioração das contas públicas, o aumento do endividamento público e a preocupação com a retomada do crescimento da economia.

No mercado financeiro, a nota de um país funciona como um “certificado de segurança” que as agências de classificação dão a países que elas consideram com baixo risco de calotes a investidores.
classificacao-das-agencias-de-risco-grau-de-investimentov5
Consequências
Ainda que já fosse esperado, o rebaixamento pela Moody´s pode ter efeitos sobre a cotação do dólar, a dívida do país, o financiamento das empresas e o nível de investimentos estrangeiros no país.

Isso porque o grau de investimento é um “selo de qualidade” que assegura aos investidores um menor risco de calotes. A partir da nota de risco, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos (por exemplo, com juros maiores) compensa o risco de perder o capital investido em um país.

Muitos fundos internacionais, por exemplo, só permitem a aplicação em investimentos que tenham grau de “bom pagador” em pelo menos duas das três agências. Ou seja, diante do alerta e da dúvida, os investidores optam por “não pagar para ver”.

Com menos investidores “interessados” no Brasil, o país pode perder dólares, o que acaba tendo reflexos na cotação da moeda. Para o governo e as empresas, fica mais caro conseguir crédito, já que eles passam a ser vistos como “maus pagadores”.

Alex Agostini, economista-chefe da agência de classificação de risco nacional Austin Rating, acredita, entretanto, que a decisão da Moody´s não deverá provocar turbulências no mercado, uma vez que a decisão já era aguardada. “Vai ficar mais difícil o Brasil receber grandes investimentos por parte dos fundos de pensão internacionais. Mas o mercado já precificou e já fez os ajustes em suas carteiras. Eu diria que vai passar desapercebido. Vai ser menos importante que o zika”, diz.

Como consequências já visíveis da perda do selo de bom pagador ele cita a queda do volume de investimentos estrangeiros em ações, renda fixa e títulos públicos, como também do montante de investimentos estrangeiros diretos, que recuaram 22,5% em 2015.

Brasil não deve recuperar selo tão cedo
O Brasil conquistou o grau de investimento pelas agências internacionais Fitch Ratings e Standard & Poor’s pela primeira vez em 2008. Em 2009, conseguiu a classificação pela Moody’s.

Agora, com a perda do selo de bom pagador nas três agências, a perspectiva para uma reconquista do grau de investimento fica ainda mais distante. Historicamente, países costumam levar cerca de 5 a 10 anos para recuperar o título.

“As perspectivas de melhora ficam ainda mais postergadas. O cenário é muito mais de um novo tropeço do que de uma melhora”, avalia Agostini. “Uma melhora da nota do país fica só para depois de 2018, quando tivermos uma situação mais clara sobre o crescimento econômico, que ao que tudo indica não deverá ocorrer antes de 2017”, completa.

     “Uma melhora da nota do país fica só para depois de 2018, quando tivermos uma situação mais clara sobre o crescimento econômico”
Alex Agostini, economista da Austin Rating

Eu tenho duas armas na minha cabeça: uma do bandido e outra do Estado

(Escrito por: Thiago Mourão)arma

João Alex Schomaker, 24 e Ricardo Santos, 24 vão virar nomes emblemáticos para a juventude brasileira. Ambos mortos a tiros: um de bandido, outro de polícia. O primeiro, formando em biologia. O segundo, preparando-se para o circuito mundial de surfe.

Os nomes dos dois somados resultam em 82 mortes diárias, sendo destas 77% jovens negros, de acordo com dados de 2014 da Anistia Internacional.

Cada vez que o nome de um ou outro é escrito, a juventude brasileira sangra. Meus dedos, Thiago Mourão, aspirante a um futuro de respeito, sangram na escrita deste texto. Eu tenho duas armas na minha cabeça: uma do bandido e outra do Estado. E eu tenho sérias dúvidas sobre qual é mais perigosa e irresponsável.

As mortes de ambos, num espaço de dez dias, acende a luz vermelha para o estado de abandono que se encontra a juventude deste país. É preciso que garotos em evidência social sejam brutalmente assassinados para que a sociedade se volte ao (des)tratamento dispensado pelos governantes.

Este é o chamado para que nós ocupemos nosso papel e comecemos a reagir contra os descasos das autoridades de todas as instâncias e instituições desta República.

É hora de Joãos e Alexs do Brasil, que têm o privilégio de exercerem seus talentos (o que deveria ser um direito de todos mas enfim…), reagirem, antes que seja tarde, e colocarem nossas pautas, tais como: revisão do sistema de repressão e guerra às drogras, reestruturação do ensino, reestruturação do transporte público urbano com revisão das relações entre empresas e Estado, reformulação da polícia militar brasileira, política econômica eficiente e sem maquiagem e etc, nas ruas e nos debates.

Podemos ir às ruas literalmente, relembrando junho de 2013, podemos ir às redes sociais abrir debates, ocupar os espaços livres dos veículos de comunicação, ocupar também as caixas de e-mail dos parlamentares e executivos com cobranças, sugestões e acompanhamento. Vamos bater ponto no senado, nas câmaras, nos palácios.

Vamos mostrar aos mandatários desta nação que aqui tem juventude ativa, criativa e alerta. E vamos nos defender, porque o cenário nos empurrado pelas Excelências, dos resultados do Enem 2014, às passagens e qualidade dos transportes públicos municipais até os assassinatos diários, brutais e silenciosos nos becos do país, nos mostra que estamos completamente sós. E sangrentos.

Retirado do Brasilpost.  

A dieta paleo em seis passos fáceis.

A dieta paleo em seis passos fáceis. Um guia motivacional“Coma Como Um Predador, Não Como Uma Presa”.

Este artigo existe por uma simples razão simples: perguntam-me muitas vezes, “Então, como funciona essa dieta paleo?” E eu quero dar às pessoas uma resposta que seja simples, sólida, e acima de tudo, motivadora. Eu quero que você termine de ler este artigo e pense: “Sim! Eu entendo, e eu consigo fazer isso.”

Aqui está: um guia passo-a-passo, mais ou menos por ordem de importância. Faça progressos a qualquer ritmo que você puder. Não se preocupe em seguir exactamente tudo o que vai ler, nem se torne obcecado em realizar todos os passos da lista: qualquer progresso que você consiga realizar irá provavelmente melhorar a sua saúde, humor e aptidão física.

Os itens “Não comer” são agrupados com os itens “Coma mais” de cada passo, assim você terá sempre algo para comer. Vamos a isso!

Primeiro, a nossa filosofia:

Coma como um predador, não como uma presa.

Os predadores empanturram-se e jejuam; as presas pastam.

Reformulado para os seres humanos modernos: os predadores comem refeições, as presa pastam em lanches. Isso significa que você precisa de fazer as refeições que o sustentem até a sua próxima refeição, mas isso não o irá fazê-lo ficar cansado ou com sono.

Veja aqui como!

1º Passo: Coma carne, não sementes de pássaros

  • Coma mais carne. Se não tem carne, não é uma refeição.
  • Favoreça os ruminantes, animais que comem erva e folhas. (Isso significa carne vermelha: Vaca, borrego, bisonte, alces, cervo, cabra) Os ruminantes são mais eficientes na conversão de plantas em gorduras essenciais, proteína completa, e de nutrientes biodisponíveis do que os seres humanos.
  • Compre carne de animais alimentados a pastos sempre que possível: é melhor para si, e as vacas não evoluíram para comer o milho e a soja, nem os seres humanos.
  • Compre cortes gordos, compre órgãos de forma ocasional. Não evite a gordura animal! Se você tentar, você irá desenvolver um apetite voraz por comida de “plástico” gordurosa. A dieta “paleo” baixa em gordura é conhecida como a “Dieta Faileo” (Falhada).
  • Carne de porco e de frango são permitidas com moderação, mas são muito menos saudáveis devido ao excessivo teor de gordura ómega-6.
  • Na verdade, você poderia parar por aqui, tal como muitas culturas nativas fizeram: desde que você coma órgãos, medula, carne e gordura de animais ruminantes alimentados a pastos, fornecem 100% das suas necessidades nutricionais. Mas a maioria de nós gosta de ter mais variedade na dieta e a inclusão de alguns vegetais e frutas oferecem benefícios de saúde concretos, mesmo que não forneçam uma quantidade significativa de calorias.
  • Coma mais peixe e marisco. Ingira especialmente peixes gordos, como a cavala, sardinha e salmão selvagem, mas tenha cuidado com o conteúdo de metilmercúrio: mantenha uma ingestão reduzida de atum, tubarão e outros carnívoros do topo da cadeia alimentar. (A tabela da FDA do teor de mercúrio pode ser encontrada aqui.) Num mundo Paleolítico poderíamos comer todos os peixes que quiséssemos… mas nós seres humanos, poluímos tanto todo o planeta, (principalmente pela queima de carvão para obtenção de energia) que um dos nossos alimentos mais saudáveis é hoje universalmente venenoso. Bom trabalho, “civilização”.
  • Não coma nada feito com ‘farinha’. Nem pão, nem pasta, nem cereais, nem bolachas, donuts. Ponto final. Este é o passo mais importante.  A farinha vem de sementes esmagadas. Quem come sementes e cereais? Pássaros e roedores. Se ele é venenoso para os seres humanos até que os transformámos em pó e cozinhamos, e causa deficiências minerais e defeitos de nascimento, a menos que sejam adicionam vitaminas, não é um alimento. (Leia mais sobre lectinas, ácido fítico, e o papel dos cereais na auto-imunidade e doenças cardíacas.)
  • Não beba o seu alimento. Nenhum tipo de refrigerante (mesmo refrigerantes de dieta), nada de bebidas desportivas, nada de leite, nem “leite” de soja, nada de batidos, nada de sumos de frutas, nada de bebidas de iogurte ou vegetais. Café, chá, e mate podem ser consumidos com moderação. Aprenda a beber água: uma vez que você se habitue, vai achar que os refrigerantes e sumos não aliviam a sua sede. (Você pode potencialmente adicionar mais tarde pequenas quantidades de lacticínios e frutas/sumos de vegetais de novo, se tiver atingido os seus outros objectivos.)
  • Não ingira açúcar de mesa, ou seus equivalentes. Isso inclui nomes artificiais e enganadores como “xarope de arroz integral”, “o néctar da agave”, e o meu favorito, “sólidos evaporados de sumo de cana.” É isso é o que o açúcar é! Chiça. Mesmo o mel é basicamente quase só açúcar, embora tenha propriedades medicinais úteis. Os adoçantes também ficam de fora, tal como são os açúcares de álcool.
  • Se você não pode passar sem ‘carboidratos (açúcares), ingira amidos de tubérculos. Prefira alimentos que são ricos em glicose e baixos em frutose, especialmente de amidos de tubérculos, como batatas. Não se esqueça da  batata-doce,cenoura, sago, taro, casava, inhame e tapioca…e descasque sempre as suas batatas, já que é onde se encontra a solalina. Se precisa realmente de comer comida de pássaro, o arroz é o menos mau dos cereais … mas dê a si mesmo um par de semanas para ver se isso são apenas sintomas de abstinência, ou se você realmente precisa deles numa base regular.
Importante! Se você é uma pessoa activa e não está interessado em perder peso (ou a tentar), deve ingerir mais carboidratos do que o indivíduo comum que está a tentar perder alguns quilos.
Neste artigo não nos estamos a dedicar à nutrição desportiva… mas de uma forma geral, considero que os “refeeds” ocasionais de carboidratos, quando necessários que reabastecer as reservas de glicogénio, são muito melhores do que uma dieta cheia de pasta, “barras energéticas” e outras comidas de “plástico” açucaradas.
De uma forma geral, se sente que está a perder resistência e força durante a realização de esforços intensos e prolongados, tente aumentar a sua ingestão de carboidratos.

Lembre-se, a carne gorda é a sua fonte primária de calorias e nutrientes. Muito poucos livros ‘mainstream’ e de dieta paleo sugerem ou referem isso.. Você é um predador: coma como um.

Parabéns! Você acabou de realizar algumas mudanças massivas e positivas na sua vida.

Você pode estar a passar pela abstinência do pão e cereais, com períodos em que realmente os deseja. Isso é absolutamente normal: você está a forçar o seu corpo a aprender a queimar gordura de novo, porque está habituado a usar todo o açúcar (‘carboidratos’) que você comia.

No entanto, você provavelmente já está a sentir um aumento na energia, diminuição da fadiga pós-refeição, e uma diminuição do desejo de petiscar. Mantenha-se concentrado! Os desejos vão-se dissipar, mas os benefícios não.

A melhor parte de uma dieta primitiva/”paleo” é que você não tem que medir ou controlar nada: não há contagem de calorias, não há ‘pontos’, não há preocupações com proporções de macronutrientes. Coma alimentos de verdade, e você não precisará de se preocupar em manter afastado o seu vício de comida de “plástico”.

2º Passo: Coma Alimentos, Não BioDiesel

  • Compre cortes gordos de carne, cozinhe com a sua gordura incluída. Se precisa de mergulhar carne em manteiga para torná-la comestível, é porque que é demasiado magra. Eu rio-me sempre o quando vejo pessoas a fazer sanduíches com hambúrguer de baixo teor de gordura ou de peito de frango sem pele, para em seguida, cobrirem-nos com queijo e maionese, pois está muito seco! Dica: Peça ao seu talhante cortes de carne com a gordura. Esses cortes muitas vezes são mais baratos.
  • Cozinhe com manteiga de gordura de animais alimentados a pastos, (não com banha de porco) e óleo de coco. Estas são as gorduras saudáveis: não hidrogenam durante o processo de cozinhamento da mesma forma que os óleos de sementes (produzem gorduras trans), e têm um teor de gordura ómega-6 de quase 0.
  • Cozinhe com ovos, e coma sempre as gemas. As claras de ovo são praticamente apenas proteína … os nutrientes estão quase todos na gema. E poucas refeições se tornam menos nutritivas com a adição de um ovo.
  • Não ingira “óleos vegetais”. O termo em si é uma mentira. Não existe tal coisa como “óleo de alface” ou “óleo de brócolos”. Eles são feitos a partir de sementes, e eles são extraídos usando solventes orgânicos venenosos (hexano). Lembre-se: se você pode colocá-lo num camião e o camião anda, então não é um alimento.
  • Isto significa, nada de batatas fritas ou outros alimentos fritos, como os chips de milho (ou quaisquer outros “chips”), nada de margarina, ou falsos substitutos da manteiga, nada de maionese, e pode basicamente ignorar todo o corredor de bolachas e lanches dos supermercados.
  • Esta proibição inclui a granola, que é apenas alpiste em combinação com óleo e açúcar. “Nozes” de milho e ervilhas wasabi também são embebidas em óleo: francamente, nada que possa permanecer em silos durante muito tempo, é comida. Uma das melhores coisas que você pode fazer pela sua saúde é evitar tudo o que vir nos corredores de “alimentação saudável”.
  • O azeite extra-virgem, queijo, abacate e nozes são OK com moderação … pense neles como condimentos, e não como ingredientes. Se precisa de comer uma lata de nozes ou um tijolo de queijo, é porque  não comeu carne suficiente.
  • As natas, creme de leite, iogurte gordo natural (não os inúteis doces ‘low-fat “), e chantilly proporcionam molhos deliciosos, temperos e sobremesas, usados com moderação. Mas lembre-se que a carne gorda é sempre a sua fonte primária de calorias.

Muito bem! Você deu mais um grande passo para melhorar a saúde e para uma maior vitalidade. Já não está a atravessar a vida como uma gazela ferida, esperando as garras da morte no seu pescoço a qualquer momento. Está-se a tornar menos saboroso e mais perigoso a cada dia.

Sim, todos nós precisamos de algum apoio moral quando tentamos desistir das batatas fritas e salgadinhos de milho. Mas você não preferiria ter uma omelete ao pequeno-almoço, e depois não ter de lanchar? Manteiga, ovos e óleo de coco sabem muito melhor do que os óleos de semente e ‘sprays’ … e depois de os ter usado por um tempo, irá começar a perceber que o óleo de canola tem um cheiro terrível, e que sua comida é muito menos gordurosa, apesar de ter um teor muito mais elevado de gordura.

O mais importante, agora que você já não come pratos enormes de açúcar (‘carboidratos’) e óleos rançosos de sementes, você irá notar que as grandes refeições saudáveis já não o fazem adormecer.

E também vai descobrir que é muito mais fácil passar sem comida, agora que o seu corpo se voltou a habituar a queimar gordura.

Em suma, você vai ter mais horas úteis no seu dia-a-dia, agora que você não está a gastar o tempo em coma alimentar ou a comer constantemente para evitar a hipoglicemia – o que lhe irá compensar o tempo extra que irá passar a cozinhar e a comprar alimentos.

Para além disso, a compra de alimentos é rápida e fácil, quando os lugares aonde você tem que ir é ao talho, mercado de vegetais e frutas e secção dos condimentos.

3º Passo: Suplementos para um mundo imperfeito

  • Considere os suplementos de vitamina D3. Os nossos corpos produzem naturalmente a vitamina D3 a partir da exposição ao sol … mas o homem do paleolítico não vivia nem trabalhava em ambientes fechados. 2000 UI por dia é, pelo que entendi, um bom começo para a maioria dos adultos. Esteja avisado: existe uma controvérsia substancial acerca da dose recomendada, enquanto alguns afirmam que 2000 UI por dia é o limite máximo absoluto, outros recomendam até 10.000 UI.
  • Considere os suplementos  EPA e DHA (“ómega-3 “). A carne de animais alimentados a cereais que somos muitas vezes obrigados a comer contém níveis mais elevados de gorduras pro-inflamatórias ómega-6, e níveis menores de gorduras anti-inflamatórios omega-3, do que a carne natural de animais alimentados a pastos. 1g/dia de EPA e DHA pode ser útil se não comeu nenhum peixe gordo nesse dia, ou se comeu carne de animais alimentados a cereais, mais se está grávida ou não consegue parar de comer fritos.
  • O óleo de linhaça (ALA) não é um substituto aceitável. Os nossos corpos são terrivelmente ineficientes (menos de 1%) a convertê-lo para o DHA que precisamos. Além disso, o seu nome real é o óleo de linho. Isso é um polidor de móveis e os polidores de móveis não são comida.
  • Eu não sou médico, e você é responsável pela sua própria saúde. Faça a sua própria pesquisa, e se observar efeitos adversos, use o bom senso. O que o seu corpo lhe diz é mais importante do que um site diz.

Se conseguiu chegar até aqui, está a ir muito bem e já está muito mais saudável do que quando estava na SAD (Standard American Diet), mesmo que não tenha perdido algum peso. (Mas as probabilidades de que tenha perdido peso são boas.) Provavelmente irá também perceber, ao longo do tempo, que está mais feliz e menos deprimido, e que os seus problemas de pele e alergias são menos graves (ou desapareceram completamente), e que apanha escaldões com menos facilidade.

4º Passo: Aja como um predador

  • Jogue duro, trabalhe duro, desafie-se a si mesmo, depois descanse. Levante objectos pesados, faça sprints até ficar sem fôlego, suba a árvores e salte, chute bolas, jogue basquet. escave neve, cave valas, corte lenha. Pratique agilidade, bem como força e resistência. As pessoas vão olhar para si, se estiver a fazer as coisas certas, porque estará a divertir-se e não a correr na estrada com ‘sapatilhas de corrida’, com aquele olhar vago de sofrimento resignado geralmente vistos em gnus sendo comidos vivos por hienas. O mundo é o seu campo de jogo! (E se os outros não vão tirar proveito dele, tanto pior para eles.)
  • Não faça ‘exercício’, não ‘faça cardio. A única maneira de melhorar é esticando os seus limites. Irá perder mais peso e ganhar mais força a partir dos treinos curtos e intensos realizados de forma esporádica do que com horas e horas de ‘cardio’. Você é um ser humano, não um hamster; saia do tapete rolante! A sério: vai conduzir para o trabalho, e depois conduzir para o health club para que possa pedalar uma bicicleta que não vai a lado nenhum? Imagine o seguinte: de cada vez que ficar com fome, você e os seus seis amigos mais próximos têm de perseguir um antílope ou lancetar um mamute e se não conseguirem, nenhum de vocês irá comer. Essa é a intensidade necessária.
  • Se você precisar de “treinar”, faça exercícios com o peso corporal, e adquira alguns halteres ou kettlebells. Dessa forma, você pode terminar um treino antes mesmo de chegar ao ginásio. O nosso objectivo é a saúde e fitness: um corpo de ginásio dá muito mais trabalho. (Faça isso se quiser, e admiro aqueles com dedicação para esculpirem-se, mas não é necessário) Lembre-se, você deveria estar a realizar actividades físicas intensas e breves ao longo do dia: você não vai andar a conduzir para o ginásio três vezes por dia. Nota:  Se tem tempo e gosta mesmo disso, então levante pesos pesados e ganhe força. Especialmente as mulheres: Não vão transformar-se de repente no Arnold dos anos 70 só porque fazem agachamentos.
  • Pare de tentar “economizar energia”. Integre o esforço físico na sua vida. Não perca tempo à procura do espaço de estacionamento mais próximo: basta estacionar e andar. Suba pelas escadas. Retire a sua própria neve, corte a sua própria lenha. A menos que você seja carpinteiro ou trabalhador da construção, você realmente precisa que a chave de fenda sem fio?

Parabéns! Você juntou todas as peças do puzzle. É muito provável que já esteja a dormir melhor agora que já se está se está esforçar regularmente em termos físicos. Você está a pensar no mundo como o seu campo de jogo, e você está a ver os ambientes familiares com novos olhos. E agora que os sintomas da retirada da SAD (Standard American Diet) já se desvaneceram, você está-se a sentir com mais energia e a pensar com mais clareza, devido à acção da grelina, agora que estar com fome, não o torna apenas irritadiço e hipoglicémico.

Por outras palavras, o seu corpo está finalmente, talvez pela primeira vez, a começar a funcionar como deve.

Agora que você está fisicamente mais forte, vai achar que também está mais forte emocional e mentalmente. Você está menos disposto a ser pisado e a ser tido como certo, e mais propenso a receber o crédito por aquilo que merece. Está a começar a entender como se sente ser um predador, em vez da presa que tem sido durante tanto tempo.

Você experimentou o poder, e é delicioso. Você quer mais.

5º Passo: Optimização

Até agora estivemos apenas a limpar as pontas soltas. Alguns de vocês podem nunca chegar até aqui, alguns podem achar que não faz muita diferença e voltam para trás, e alguns podem encontrar aqui a chave para uma saúde óptima.

  • Retire quaisquer grãos remanescentes da sua dieta. Isto já deveria ter sido feito, mas se você ainda anda a comer milho, aveia, ou qualquer outro cereal “saudável” como kamut ou amaranto, elimine-os. Elimine de forma absoluta todos os cereais com glúten da sua dieta: trigo, centeio, cevada, espelta. (Você já deveria ter feito isso, eliminando a farinha no 1º Passo, mas as pessoas arranjam sempre maneira de comer algum tipo de cereal ou alimentos com nomes falsos mas que são cereais. E o glúten esconde-se em todos os tipos de coisas de que você não se dá conta.)
  • Remova as restantes leguminosas (feijão) da sua dieta. Isto é geralmente é fácil, uma vez que você estará a obter muita gordura e proteína da carne. Tal como os cereais, as leguminosas são sementes e são indicadas para os pássaros e roedores, não para os seres humanos.
  • Remova todo o restante lixo da sua dieta. Existe uma grande quantidade de não-alimentos que tecnicamente se esgueiram através das regras acima, mas que todos nós sabemos perfeitamente bem que são lixo. Não vou enumerá-los, porque há milhares … mas se ele tiverem mais de uma camada de embalagem, contém qualquer ingrediente que você não entende, afirmam quaisquer benefícios para a saúde no rótulo, ou é uma versão falsa de outra coisa , não é um alimento.
  • Experimente remover os produtos lácteos da sua dieta. O leite já está fora, mas algumas pessoas sentem-se melhor sem queijo, iogurte, ou mesmo natas. (Manteiga é basicamente 100% gordura e é extremamente improvável que cause problemas para alguém.) Em geral, quanto mais gordura e menos caseína e lactose contiver, menos provável é que cause problemas.

Agora que você está elegante, forte e perigoso, está-se a sentir muito satisfeito consigo mesmo. Você acorda descansado, sem dores ou sofrimentos, e sabe-se capaz de perseguir, matar e comer o que quer que os problemas do dia-a-dia lhe possam trazer. No entanto, deve permanecer atento em relação a um parasita insidioso que se alimenta do seu orgulho e suga a sua força:

Complacência.

6º Passo: Nunca Pare de Caçar

  • Treine com mais intensidade e de formas diferentes. É fácil ficar preso a um “programa de treino”. Explore um lugar novo. Aprenda uma habilidade que ainda não domina. Experimente o treino intervalado. Tente um desporto de equipa se for um indivíduo solitário, ou pratique desportos individuais se for um jogador de equipa. Defina metas que não esteja certo que pode alcançar.
  • Se vai fazer uma “cheat meal”. Coma algo delicioso e com uma porção limitada, ou demasiado cara para comer com frequência. Se for beber uma Coca-Cola é provável que compre um bolo para acompanhar, ou uma pizza. Se entrar num MacDonald´s,é provável que não saia de lá sem comer em excesso. Depois de abrir um pacote de bolachas, você irá comê-las todas e ambos sabemos disso.
  • Desconfie de todos os conselhos de dieta. Qualquer um pode escrever um livro de dieta e a maioria deles descrevem a nutrição de forma complicada para que você continue a comprar livros e ir a congressos. Lembre-se que os estudos observacionais não lhe indicam necessariamente se algo é saudável para comer: os que eles dizem é os alimentos que as pessoas saudáveis de determinados estudos comeram. Os resumos e conclusões muitas vezes deturpam os dados. E as comparações são normalmente entre “absolutamente terrível” (cereais refinados, açúcar, gorduras trans) e “menos maus” (cereais integrais), o que não significa que os alimentos”menos maus” sejam realmente bons para si, nem que o culpado ‘ absolutamente terrível “seja o que eles afirmam que é.
  • Ouça o seu corpo. Assim que estiver a funcionar a um nível alto o suficiente para notar a diferença, você irá entender o que o está a ajudar e o que o está a prejudicar, e não apenas o que está a alimentar os seus vícios. Faça mudanças individuais e avalie os seus efeitos antes de passar para outro: não mude muitas coisas de uma só vez, ou nunca saberá o que está a fazer o quê. Se está fisicamente muito activo, poderá necessitar de alguma glicose (amido) na sua dieta para manter o peso estável e o seu nível de energia alto durante o esforço severo. E se o seu corpo anseia por um determinado vegetal, coma-o Você pode estar a precisar de alguns micronutrientes.
  • A sua vida e a sua saúde são suas. Você é responsável por eles em todos os aspectos. Não deixe que artigos opinativos das “notícias” lhe digam que um novo produto industrial é a chave para uma saúde melhor, ou que um alimento que os seres humanos têm comido por milhões de anos, é agora mortífero para si. Suspeite quando o seu governo, que gasta biliões de dólares por ano para subsidiar o agronegócio para cultivar milho, soja e trigo, lhe diz para comer mais milho, soja e trigo. E lembre-se que os ruminantes são mais eficientes na conversão de plantas em gorduras essenciais, proteína completa, e de nutrientes biodisponíveis do que os seres humanos ou as nossas fábricas.

Retirado do (Musculacao.net)

O preço do Amanhã

foato

Uma vez em um grupo de jovens, ouvi dizer que “Viver é a mais fantástica Aventura”. Creio que esta frase tem um impacto supra real, digo isto porque o ser humano vive em constante teste, em constante treinamento durante sua pequena estadia nesta terra de gigantes. Geralmente o cidadão já tem um perfil pré definido do que ele será, como ele será, mas isso não vem dele, é um veículo monitorado pela sociedade, pelos pais que moldam desde pequeno o que o cidadão será. Colocam em teatro, balé, música, futebol, geralmente colocam todos os meninos no futebol, e direcionam o seu futuro, mas na verdade somos nós que fazemos o futuro. Apesar de ele ser incerto na maioria das vezes, nós temos que seguir nossa intuição. Já vi pessoas namorarem por acomodar o relacionamento, por estarem tanto tempo juntas, que não consegue se ver sozinha, vivendo a sua vida na maneira e na medida que deveria ser, fica suportando falsidade, traição, levando o relacionamento de maneira superficial por medo de ver a vida por outro lado. O mesmo vejo em trabalho, pessoas que acomodam em um serviço, por preguiça ou medo de terem que fazer algo mais dificil ou doloroso para se elevar na vida. E assim são as escolhas também. Pessoas optam pelo facil, em vez do trabalhoso, acreditam em mentiras porque a verdade doi demais, fingem ter a vida perfeita, pois naõ conseguem encarar a realidade de um futuro incerto. AGARRAM-SE no presente, porque acham que é o melhor agora, e esquecem que amanhã é um novo dia. E assim a vida vai passando. O ser humano naõ está fadado ao fracasso, o que determina o seu fracasso é a sua disposição para desistir, porque claro.. desistir é facil, ficar atoa é fácil, durmir o dia inteiro é fácil. Difícil é fazer escolhas que mudam seu ambiente. Mas o “difícil” é questão de cabeça…

Você não tem que escolher a vida que quer, você têm que vivê-la. Traça um rumo, crie maturidade, e experimente as expectativas. Afinal, a vida não se pode ser economizada para o amanhã. Pois o mundo não está nos seus livros ou em telas de computadores. O mundo está lá fora!