Meu amor começa com Café


Meu amor começa com café
Com muitas colheres de fé
A suavidade de uma mulher
O aroma diferente do chulé

Meu amor começa com samba
Aquele passo que zomba
Que deixa a perna bamba
E alegria a gente grita: Caramba!

Meu amor começa com o agora
rindo do tempo que passou, embora
lembranças que a alma revigora
Nossa! to atrasado, ora!

Meu amor começa sutileza
Misturado com gentileza
Querendo passar as férias em Fortaleza
Olha o camarão de praia! Que beleza.

Meu amor começa com amor
Uma chama viva de clamor
Azar no jogo e sorte no amor.
Paz e… amor.

Anúncios

Não é o amor que sustenta o relacionamento, é o modo de se relacionar que sustenta o amor

abraçoAmar é tão simples. As pessoas é que complicam, as pessoas é que idealizam demais e esquecem de viver a realidade que, por mais complicada que possa parecer, continua linda de viver. As pessoas se esquecem de que o amor precisa ser alimentado não com presentes e jantares caros. Não, o amor não precisa ser financiado para se manter.

O problema é que as pessoas se esquecem do chocolate favorito quando vão ao mercado, se esquecem de que aquela camiseta do Star Wars vai fazer o coração do outro bater mais forte e que o sorriso vai ser desenhado aos poucos em seu rosto como quem diz obrigada.

As pessoas se esquecem da cor favorita, da sobremesa preferida, se esquecem de que um filme de comédia romântica, em um final de tarde no domingo, faz bem. As pessoas se esquecem de elogiar aquele vestido novo, de dizer o quanto está linda naquele pijama velho que a deixa ainda mais bonita.

As pessoas se esquecem da importância de assistir um jogo de futebol com o parceiro, de gritar com ele quando o seu time faz um gol e de vibrar com os “quase” gols.

As pessoas se esquecem de tirar um tempo de qualidade para escutar o outro. As pessoas se esquecem de dar uma flor dessas que a gente rouba do quintal dos outros (risos). De elogiar o perfume novo e de dizer aos pés do ouvido o quanto ama esse alguém.

Não precisa de buquê no trabalho, não precisa levar para jantar em um restaurante caro, não precisa encher de joias, comprar presentes caros. Não precisa disso para manter a chama do amor acesa. Não é isso que faz pegar fogo.

Um beijo na testa faz o coração de qualquer mulher se acalmar, um abraço quando as coisas não estão bem faz com que a gente se sinta protegido e assistir aquele filme que o outro tanto quer, também sabe agradar.

Beijos ao pé da orelha causam arrepios e o toque sincero faz o corpo balançar. O problema é que as pessoas são intensas demais no começo de um relacionamento e fazem de tudo para conquistar o outro, mas não sabem como lidar com todo o sentimento que, às vezes – na maioria das vezes – parece não caber dentro da gente.

E aí vem os inúmeros presentes, os inúmeros agrados, os inúmeros elogios e depois de um tempo, a insegurança vai embora e a gente se esquece de que é preciso conquistar todos os dias. Mas isso, ao contrário do que muita gente pensa, não é um fardo, obrigação e está longe de ser um sacrifício.

É a simplicidade que emociona, é o beijo de bom dia, é o “sonhei com você”, é o elogio sincero e inesperado, é o cuidado, é fazer aquele mousse de maracujá, preparar uma janta em casa mesmo e dizer: “Só tinha ovos, fiz um omelete delicioso pra nós dois. Espero que goste”. Um recado deixado no meio dos seus livros é o suficiente para fazer o nosso coração sorrir.

Vai, manda um SMS no meio da tarde dizendo que não consegue parar de pensar nele, compra o seu chocolate favorito e aparece de surpresa. Vai, compra uma rosa – não um buquê- e deixa um bilhete dizendo o quanto você a ama.

Não deixe cair na mesmice, continue fazendo aquele belo sorriso brotar, aqueles lindos olhos brilharem. Vai, continua fazendo aquele corpo balançar com o teu toque. Vai, mantém essa chama acesa e deixe incendiar. O amor se alegra com a simplicidade e são as pequenas coisas que fazem o nosso coração sorrir sem medo, como quem tem alguém ao seu lado querendo fazer morada.

(Retirado do ResiliênciaMag)

Ó coisa Linda

topadsfsad

Minha vida volta pra te ver
o que sinto por você
nada mais é do que prazer
no amor que tenho procê

O sentimento paira sobre vós
Na incerteza que um dia nós
vamos sobreviver ao infinito
que verdades e loucuras que mito.

Fantástica é a palavra que posso lhe dizer
Linda é o sabor que vou lhe descrever
Minha é pronome possessivo de meu ser
Para tudo aquilo que não consigo descrever

Olho nos seus olhos e vejo a pureza
de tudo aquilo que antes era incerteza
Agora se concretiza, esculpida na beleza
E uso meu arco, no coração mirar com destreza

E Assim segue o bonde, que não é do tigrão
mas é uma sinfonia cheia de gratidão
com bolo, salgadinho, doce e balão
Que enfeitam a festa que tenho no coração

Bilhete

fdas.jpg

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…

Mario Quintana

Cultivando a vida

 

vida.jpeg

Certa vez Cury disse: “As grandes idéias surgem da observação dos pequenos detalhes.” Pensando por esse raciocínio, temos que certas escolhas são decorrência da ausência de observação. Quando nos culpamos por algo que deu errado, foi porque escolhemos errado desde o princípio ou pior, deixamos de escolher alguma coisa.

A relevância aos fatos que definem nossos caminhos são tão eloquentes quanto uma pintura de Van Gogh. Precisamos viver de forma vibrante, com cores dramáticas, pincelando a vida impulsivamente.

O seu caráter é construído baseado nas escolhas que faz durante os primeiros anos de vida, até alcançar a maioridade. Creio que até a maioridade você já tenha uma capacidade bastante justa e lógica de interpretação, o que faz jus a suas ações. E isso determina seu caráter.

E o caráter determina metas, almeja um sentido maior na vida, deixa a vida objetiva. Faça da sua vida um objetivo de vida. Viva como se este objetivo fosse sua razão de existir, agarre-se na felicidade, na persistência e na fé e, assim, você fará tudo que tenhas vontade.

A tristeza anda calada

felicidade

Não pense que a emoção possa conquistar terreno sem ao menos ter um esforço conjunto com outras emoções, a tristeza anda calada. Confie nas suas escolhas e siga seu coração para não deixar que a solidão e o desespero peguem carona nesse trem badalado, pois a tristeza anda calada.

(Mago de Marte)

As pessoas reclamam de tudo e meu cachorro não entende isso!

ele.jpg

Sabe quando você está na fila do banco e na sua frente tem uma pessoa reclamando de absolutamente tudo? Reclama da demora em ser atendido, reclama do calor, do frio, do ar condicionado, do prefeito, do governador, do presidente, da economia, do trabalho, do chefe, do transporte público, do carro, do preço do combustível, do time de futebol (óbvio), da família, etc. Reclama tanto que você é absorvido por uma nuvem de reclamações que pesam sobre você durante todo o dia e quando você se deita na cama para dormir vem àquela sensação de que o seu dia foi extremamente cansativo e pouco produtivo e você não sabe o motivo.

Uma reclamação aqui, outra lá, durante um bate papo com os amigos é normal. No meio de pessoas estranhas, vai depender da sua personalidade. Um monte de reclamações ao mesmo tempo ou em frequência constante não é suportável a ninguém. Desculpem-me aqueles que são assim, mas vocês são desagradáveis.

Essas pessoas são contagiosas, fujam! Isole-se no seu mundo perfeito. Se você não tem um mundo perfeito só seu, fuja assim mesmo e se esconda atrás dos seus problemas. Isso mesmo, atrás dos seus problemas! Primeiramente por que são seus e você faz uso deles da maneira como quiser e segundo por que é você quem se esforça, luta, perde e ganha todos os dias para tentar resolve-los sem precisar dividi-los com o restante do mundo.

Outro dia desses estava escutando uma pessoa reclamar das coisas, não porque gostaria de escuta-la, muito menos porque não tinha nada melhor a fazer. Ela é dessas pessoas que reclamam muito e de tudo, mas nesse dia eu precisava escuta-la. Depois do interminável sofrimento fui finalmente liberto. Nesse mesmo dia cheguei em casa envolto na nuvem de reclamações e como sempre fui recebido com uma enorme festa pelo meu cachorro. Resolvi sentar na varanda com ele ao meu lado e comecei a filosofar sobre essas pessoas que de tudo reclamam, contei a ele como eu achava que seria por dentro da mente dessas pessoas, não lembro exatamente das palavras que usei, mas foi algo assim:

– Querido amigo Cachorro (estou ocultando o nome do cachorro para não me indispor com ele futuramente), imagina você em um lugar escuro, denso e incomodo, imagina que isso não é transitório e sim permanente e que todos os dias da sua vida essa é a sua condição. Na sua frente existem três pequenas aberturas, duas delas posicionadas uma ao lado da outra e a terceira posicionada um pouco abaixo. Essas são as únicas formas que você tem acesso ao mundo exterior. As duas de cima lhe fornecem um campo de visão turvo e minúsculo e o pouco que se vê do outro lado são coisas em uma escala de cores cinza. A outra abertura não fornece um campo de visão, mas permite a comunicação com o mundo exterior, você pode escolher o que emitir por ela, e a sua escolha é quase sempre reclamar ao mundo lá de fora o quão e difícil, ruim, incomodo, injusto e imperfeito é o seu mundo interior…

Nesse momento o cachorro se levanta e sai em disparada e se lança ao chão para poder enxergar pelas frestas do portão e começa a latir incessantemente com alguém que passa do outro lado da rua.

Não consegui concluir, filosoficamente, que nossos olhos enxergam de tudo, porém da forma como queremos que eles enxerguem. As palavras que dizemos são de nossa escolha e o mais importante é que podemos escolher não dize-las.

Suspeito que meu cachorro não entendeu meu momento filosófico ou apenas achou um jeito de fugir das minhas reclamações.

– Ó céus, fui contagiado!

(Poeta Torto)