A incrível geração Mimimi

Por (Jenifer Castilho)

Numa galáxia muito longe da nossa, existe um planeta habitado por indivíduos muito inteligentes e cultos. Há um grupo muito influente que conquistou quase todo o planeta. Eles são denominados: “a incrível geração mimimi”. Essa geração acorda ao meio dia e não arruma sua cama, almoça e não lava seu prato, e quando acaba sua rotina “matinal”, finalmente se conecta ao wi-fi pago por seus pais opressores e enche as redes sociais diariamente de reclamações sobre o machismo, racismo, e a sociedade patriarcal. Ela só lê (quando se dá ao trabalho) as xerox’s da universidade indicadas por seus professores.
Se orgulham de sua intelectualidade e, quando alguém escreve nas redes sociais algo que eles não concordam, não citam livros, nem fontes confiáveis. Não precisam dessa barbaridade! Eles simplesmente respondem com toda sua inteligência e perspicácia a mesma frase de sempre: “apaga que dá tempo”.

Que sagacidade, não é mesmo?

Não precisam ler nenhum autor conservador ou liberal para criticá-los, pois lá no fundo todo mundo sabe que esses autores não sabem do que falam. Na verdade, essa geração não precisa nem mesmo ler autores que eles próprios defendem. Se a mídia diz que ele é bom, se os professores dizem que ele é bom, por que questionar?
Em falar em questionar, essa geração é a mais inteligente. Todos pensam igual, todos dizem os mesmos clichês e as mesmas frases de efeito, mas se consideram autônomos e afirmam constantemente que pensam por si mesmos e são independentes.

Você precisa esquecer sua identidade para fazer parte dessa geração, precisa se rotular e ter uma opinião formada sobre tudo. “Aquilo que o Tico Santa Cruz publicou”, “aquilo que Jean Wyllys cuspiu… quer dizer, falou.” Deve estar atento aos temas políticos do momento senão ficará de fora da roda dos doutores da política das redes sociais. E aceite! A Polícia Federal não sabe de nada! Aquele macho opressor chamado Sérgio Moro, que estudou a vida toda, se tornou juiz federal em 1996, que chefiou a 3ª Vara Federal de Joinville em Santa Catarina, que tem vários livros publicados não sabe de nada! Quem sabe de tudo é seu professor de história de 40 anos que ainda mora com a mãe. O resto é golpe! Aceita que dói menos.

A incrível geração mimimi sempre trabalha com a lógica.

O deputado gay se fantasia e homenageia um personagem terrorista da história que mandava gays para campos de concentração e os matavam.

A mulher feminista diz que o lugar de toda mulher é onde ela quiser, mas se ela quiser ficar fora do movimento feminista merece ser estuprada. estupro.png

Essa geração é contra a pena de morte, mas a favor do assassinato dos bebês desde que eles ainda estejam no ventre.

Essa foto representa mais um caso de um espermatozoide abusado e opressor que entrou no ventre dela sem seu consentimento:aborto.jpg

E o que falar daquelas guerreiras que lutam contra cultura do estupro e a sociedade patriarcal? Não poupam esforços para acabar com as injustiças impostas a elas. Elas não se depilam e postam em suas timelines sobre o estupro que sofrem diariamente ao sair na rua e ter a infelicidade de um macho lhes olhar.

 

Retirado do Gazeta do Povo

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s