Poema das 23:27, 28, 8, 28, oito, oi!

sinestesia-grande

Pata, camelo, oi, carne
Feijão com açúcar, leite de mamona
Vida sem sentido
sorvete com açaí.


Pato, camela(?!), oi, osso
Arroz com café, suco de laranja
É o que eu sinto
é bom demais!


Porque, o que, quando, onde, como, eu como.
Trem dengoso, gostosa, delicia, adoro
Nessa vida passageira
Saudade de Marte


Assim termina o dia, começa a noite, termina a noite.
e passou vários amores, alguns amargos, outras doutoras
luzes no céu, silêncio profundo, tatuagem invisível
Que brota, do coração uma marca flúvida estrogonoficamente falando.


Teste seu destino
Amadureça rapidamente
Tic tac, tic tac…
Surprise Motherfucker!

Anúncios

Uma resposta em “Poema das 23:27, 28, 8, 28, oito, oi!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s