O ESSENCIAL DE UM MÉTODO DE ESTUDO PARA CONCURSOS

ccccMeu propósito com esse texto é o de auxiliar aqueles que iniciam a jornada. Depois de muito aprender conversando com outros candidatos, lendo inúmeros depoimentos de aprovados e entrevistas com especialistas, acompanhando as dicas de vários professores de cursinho e de profissionais envolvidos com coaching, arrisco aqui elencar o que é essencial na rotina de qualquer candidato:

1 – Dar enorme importância à lei seca, que é fundamental principalmente para a 1ª fase (aproximadamente 80% das questões). A leitura é chata, mas não há outra saída. Crie o hábito de ler dispositivos legais todos os dias. Você deve estar 100% familiarizado com eles.

2 – Fazer exercícios constantemente. Não pense que você conseguirá resolver satisfatoriamente as questões da prova apenas estudando. Comece a praticar e sentirá a diferença. Você verá que muitas questões se repetem. Em vez de simplesmente conferir o gabarito, você deve saber por que acertou ou errou. Os livros com exercícios comentados agilizam sua vida nesse ponto. Os mais conhecidos no mercado são o “Como passar em concursos jurídicos” e o “Revisaço” (o primeiro tem muito mais questões, mas os comentários são mais breves; o segundo tem bem menos questões, mas comentários mais extensos). Há também o site questõesdeconcurso, geralmente recomendado.

3 – Ler no máximo um livro por matéria, de preferência obra escrita por professor de cursinho para carreiras jurídicas. Estudar para concurso não é fazer uma pesquisa acadêmica. Muitos dizem passar apenas com sinopses ou cadernos desse cursinhos, embora, a meu ver, tenham lido muitos livros durante a faculdade. Em concurso o importante é a horizontalidade (conhecimento razoável), e não a verticalidade (conhecimento aprofundado) do estudo. Não caia na ilusão de que um Juiz ou Promotor sabe tudo de tudo, não pense que você tem que saber mais do que a banca examinadora. As obras “concurseiras” se diferenciam das demais porque em geral sintetizam o posicionamento de vários autores bem como o entendimento jurisprudencial mais recente, além de serem escritas em linguagem mais acessível. Associar a leitura desse livros com videoaulas de cursinho também tem um resultado interessante, embora isso não seja imprescindível.

4 – Manter-se atualizado com a jurisprudência do STJ e STF. Cai bastante e é uma excelente oportunidade para se habituar com a aplicação do Direito a casos concretos. Além disso, você estará sempre relembrando conteúdos já estudados. Para não ter que ler tudo, já que alguns informativos são bem específicos e não são cobrados, o site dizerodireito.com.br seleciona aqueles com maior probabilidade de cair na prova e ainda os apresenta de forma esquematizada. É bem didático.
5 – Fazer revisões periódicas. Não adianta: você irá compreender bem o assunto assim que estudá-lo mas logo após algumas semanas irá esquecê-lo. Isso é normal! A não ser que você tenha uma memória prodigiosa, é necessário rever com frequência os assuntos já estudados, sob pena de você colocar tudo a perder no dia da prova. Repetir, repetir, repetir. É chato, mas não tem outro jeito. E a repetição deve ser espaçada, intercalada no tempo. Há quem passe sem resumos, há quem os julgue imprescindíveis. Há quem apenas grife. Há quem leia o mesmo assunto várias vezes ao longo do tempo. Todas essas técnicas de revisão funcionam, cabe a você optar por uma. O importante é revisar!

6 – Uma boa forma de se preparar para a prova oral é montar grupos de estudos que simulem essa fase do exame. Os participantes vão se alternando nas perguntas e nas respostas.Há vários arquivos de texto circulando na internet com perguntas reais já feitas nos concursos da magistratura e do mp. Para a prova subjetiva, é importante resolver as questões anteriores e ficar sempre atento para o português. Para treinar, indico o site questoesdiscursivas.

7 – Ter foco no edital. Estude com base no edital do concurso anterior para o cargo que agora você pretende. Publicado o edital, confira se houve mudanças e adeque os seus estudos. Comece pelos temas que você não domina, pois temos a tendência de estudar só aquilo que gostamos, o que é um grande erro.

8 – Gerenciar sua rotina: organize os seus estudos para que você siga todas essas dicas. Monte um quadro de horários e disciplinas. Estipular metas diárias de horas de estudo é algo que pode otimizar o seu rendimento. Você se sentirá forçado a cumprir aquilo que planejou e terá uma grande alívio ao alcançar a meta (“o passo do dia foi dado”).

9 – Ter persistência e confiar na sua capacidade. O aprovado é antes um dedicado do que um gênio. Muitos tentarão te rebaixar, não confiarão no seu potencial, dirão que você sonha muito alto etc. Se você sabe o que quer, seja determinado e não dê ouvido a essas pessoas.

10 – Respeitar o seu limite do seu corpo. Estudar com sono ou cansado não traz resultados. Uma boa forma de descansar a mente é cansar o corpo com exercícios físicos. Enfim, descanse, tenha seus momentos de lazer com amigos, namorado(a) e familiares.

Essas são pra mim as lições mais valiosas e importantes. Caso algum colega discorde de algum ponto ou tenha algo a acrescentar, fique à vontade!! Nosso objetivo é nos ajudar mutuamente. Abraço e boa sorte pra todos nós!

(Publicado por Delvito Neto.)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s