Coração, terra que ninguém pisa.

O título da postagem é um teste. Vou explicar melhor…
A leitura de um texto acontece , em um primeiro momento, no processo de decodificação. É nessa fase que temos contato com a representação e tentamos extrair alguma mensagem. São vários os elementos que nos ajudam a interpretar tudo que nos cerca, mas para que se possa compreender bem é necessário identificar o contexto no qual está inserido.

Entramos então na parte subjetiva interpretativa. A identificação do contexto depende do conhecimento sobre a situação abordada. Em determinadas situações a informação sobre acontecimentos passados é primordial para sua compreensão. Sendo assim, do ponto de vista quantitativo,  quanto maior o campo de conhecimento mais fácil será essa interpretação.

Do ponto de vista qualitativo a história ganha outro viés. A quantidade de acontecimentos passados pode te ajudar a resolver problemas ou criar novos. Uma mensagem “lida” por uma pessoa que já passou por alguma situação similar, tendo um desfecho traumático, com toda certeza conduzirá a uma antecipação catastrófica. A interpretação passa a ser carregada de uma pá de pessimismo e medo.  Em contrapartida, caso a mesma situação seja recebida por alguém ileso/imaculado, é certo que ganhará outro fim.

É sobre isso o título desse post.
Se você leu e interpretou:  Não posso permitir que alguém machuque meu coração, jamais!
Talvez você seja uma pessoa que traz experiências não tão boas do ponto de vista emocional.
Se você leu e interpretou: Meu coração, tão vazio. Ninguém andou por lá ainda.
É certo que você não possui experiências sobre o assunto.

Diante disso, qual das duas interpretações levaria uma pessoa ao “sucesso” dessa empreitada?
Impossível dizer! Esse texto é sobre interpretações, não sobre vidência!

O que fica de alerta é: Quanto da sua realidade realmente é verdade?
Tente verificar onde termina a realidade e onde começa sua interpretação sobre os fatos.
Além disso, não deixe que suas experiências passadas evitem novas experiências.

O medo é um amigo prudente , porém um péssimo conselheiro…

 

(Criado por Zemaneh)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s